Aprendendo a investir com 10 dicas incríveis!

Por Manuela Lorenzo

Conforme o ano vai passando, muitas vezes, acabamos esquecendo de tudo que prometemos lá no começo. Por isso, não deixe para depois as promessas que você fez em seu ano novo. Comece o ano aprendendo a investir! 

Tenha sempre em mente que, quanto antes você começar a poupar e investir, maior será o seu montante no futuro. A verdade é que, colocar seu dinheiro apenas na caderneta de poupança não é a única opção do mercado. Há maneiras mais rentáveis, e ainda assim seguras, de ver suas economias crescerem.

Veja a seguir 10 dicas como fazer investimentos incríveis para quem está aprendendo a investir! Vamos lá? 

10 dicas para você que está aprendendo a investir!

Para que todos consigam aplicar seu dinheiro e enxergar que a poupança não é a única opção de investimento, vamos dar 10 dicas de investimentos para que você possa identificar qual é o ideal para as suas finanças e como fazer investimento da melhor forma. Confira abaixo!

 

 1- Saia das dívidas!

Antes de  começar, vamos dar uma ótima dica para que você está aprendendo a investir. É importante se organizar financeiramente e sair das dívidas. Uma vida financeira bem controlada é fundamental para que você consiga crescer seu patrimônio e realizar todos os seus objetivos. 

Liste todas as suas dívidas e ordene-as de acordo com a taxa de juros e importância. Feito isso, procure, se possível, propor uma renegociação para que as suas dívidas caibam no seu bolso. E claro, reorganize seus gastos para não entrar novamente no vermelho!

Para te ajudar com isso, que tal baixar uma planilha de orçamento pessoal prática e assertiva?

 

Baixe a planilha de Orçamento Pessoal

 

 2- Cuidado com a inflação

Para você que está aprendendo a investir se atente a essas 10 dicas de investimentos.

Você que está aprendendo a investir já deve ter percebido que os R$50,00 de hoje não valem os mesmos R$50,00 futuros, certo? Isso se dá devido a inflação.  A inflação leva parte do poder de compra do seu dinheiro em relação ao tempo. Para se proteger dela, você pode (e deve) investir.

Dica: Para calcular o seu rendimento, sempre é preciso diminuir a inflação do rendimento divulgado (é chamado de rendimento real).

 

 3- Conheça seu ciclo de vida financeiro atual

Podemos dividir nossa vida em duas grandes fases: a fase de acumulação, que é quando estamos acumulando patrimônio e a fase em que consumimos a renda que acumulamos. 

Por isso, é importante poupar e entender como fazer investimento durante a primeira fase do ciclo de vida financeiro, para que no futuro, você tenha uma renda disponível para aproveitar a aposentadoria.

Nos anos de acumulação, é possível assumir alguns riscos na hora de investir. Porém, quando você vai se aproximando da segunda fase, é melhor adotar uma atitude mais conservadora.

Para quem está aprendendo a investir, a fase de acúmulo é muito importante, já que é nela que você poderá se organizar e criar hábitos que colaborem para a junção do seu montante.

 

 4- Antecipe imprevistos

Essa é mais uma ótima dica para você que está aprendendo a investir. Por mais organizada que seja a sua vida financeira, imprevistos sempre acontecem. Por isso, é importante que você forme uma reserva de emergência para esses momentos. Uma dica é guardar seu custo mensal multiplicado por 6.

Dessa forma, caso você tenha uma emergência ou a sua renda cesse por algum motivo, você consegue manter seu padrão de vida pelo menos por 6 meses. Coloque o dinheiro desse fundo de emergência em ativos com liquidez, por exemplo, tesouro Selic, fundo DI ou um CDB com liquidez diária.

Seu custo mensal = R$…………. x 6 = reserva de emergência

 

 5- Tenha em mente os conceitos básicos: rentabilidade, risco e liquidez

Você que está aprendendo a investir deve saber que não existe investimento perfeito, mas investimento seguro, com uma rentabilidade e liquidez altas. Porém, sabemos que não existe um investimento que consiga unir essas 3 qualidades ao mesmo tempo. Você que está aprendendo a investir, deve sempre ter em mente que “quanto maior o retorno, maior o risco”. Logo, se busca investimentos com uma rentabilidade mais alta, você terá que enfrentar um maior risco. 

Além disso, é preciso sempre pensar na liquidez do ativo. Liquidez é a facilidade em converter determinado ativo em dinheiro. Ou seja, investimentos de curto prazo devem sempre ter liquidez e baixo risco. Enquanto os investimentos de longo prazo toleram um risco maior.

 

 6- Saiba os dois principais tipos de investimentos para quem está aprendendo a investir

Para que essas dicas de investimento fiquem completas, listamos abaixo os dois principais tipos de investimentos para quem está começando a investir. Estude, pesquise e analise!

Renda fixa

A opção mais segura de investimento para quem está aprendendo a investir é a renda fixa, que é basicamente um título de dívida emitido por uma instituição, governo ou bancos.

Dentre as opções de renda fixa temos: rendimento fixo, em que você já sabe o quanto vai receber na data de vencimento, e a taxa pós-fixada, que é atrelada a algum indexador da economia como CDI, taxa SELIC ou IPCA.

Alguns exemplos de investimento em renda fixa são: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, Debêntures, LC, CRI, CRA e fundos de investimento de renda fixa.

Renda variável

Já em renda variável, apesar dos rendimentos tenderem a ser mais altos no longo prazo, você também lida com um risco e uma volatilidade mais altas. Quando você  estiver se tornando um investidor mais experiente, é importante separar uma parte do capital para renda variável, garantindo uma rentabilidade maior a longo prazo.

Existem muitas formas de investir na bolsa de valores. Você pode comprar ações ou investir em fundos de investimentos em ações e multimercados. Quando você compra ações vale o mantra: comprar na “baixa” e vender na “alta” para conseguir os maiores lucros possíveis. Além disso, algumas empresas pagam para os acionistas parte do resultado positivo da companhia, chamamos essa renda de dividendos.

E então? Está aprendendo a investir com essas dicas? Nós esperamos que sim! 

 

 7- Reconheça seu perfil de investidor

Para saber melhor onde investir, você deve pensar qual é o melhor investimento para o seu perfil de investidor. Ou seja, você precisa saber qual é o seu apetite a risco. Existem 3 perfis de investidor: conservador, moderado e agressivo.

– O investidor conservador, não tolera nenhuma perda de capital, então, é melhor investir sempre em renda fixa

– O investidor moderado quer segurança, mas gosta de se arriscar um pouco com alguns investimentos de renda variável;

– Já o investidor agressivo não vê problemas em assumir riscos e busca o máximo de  retorno possível, portanto, a sua carteira pode estar sujeita a volatilidade e a investimentos de renda variável.

 

 8- Diversifique sua carteira!

Você já deve ter ouvido “Não coloque todos os seus ovos em uma única cesta” e, quando se trata de investimentos, essa frase não poderia estar mais certa. A diversificação reduz o risco dos seus investimentos. Por isso, diversifique! 

 

 9- Acompanhe o desempenho de suas aplicações e as notícias do mercado

Para você que está aprendendo a investir, estar sempre atento às suas aplicações é de extrema importância. É essencial, portanto, que você acompanhe o desempenho de suas aplicações financeiras e esteja ligado nas notícias do mercado. Pelo menos, a cada 6 meses, faça uma análise de toda a carteira e realize os ajustes necessários.

 

 10- Planeje e proteja o seu futuro!

Você já pensou em como deseja viver a sua aposentadoria e como vai manter seu padrão de vida no futuro? E a educação dos seus filhos, já se preocupou com o custo dos estudos ou sonhou em mandá-lo para um intercâmbio? É muito importante separar uma parte da sua renda familiar pensando no longo prazo, não é mesmo? 

O benefício concedido pelo INSS pode não ser suficiente para manter seu padrão de vida, e além disso, não se sabe como vão ser as regras da Previdência Social no futuro.

E, por mais que sejamos disciplinados financeiramente, nada nos prepara para uma morte, um acidente ou uma doença grave. Por isso, a previdência privada e o seguro de vida tornam-se imprescindíveis.

Se deseja saber mais sobre previdência privada ou seguro de vida, clique nos links abaixo:

Clique aqui para acessar o guia da previdência 

Clique aqui para acessar o guia de seguro de vida

Quer continuar aprendendo a investir da melhor maneira? Faça os cursos online da Icatu, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas Como Fazer Investimentos 1 e 2. Os módulos apresentam desde conceitos básicos de investimento até como diversificar seu portfólio.

Clique aqui para ter acesso aos cursos da FGV

 

Agora que você já aprendeu como investir com essas dicas de investimentos, que tal entrar em contato com um  consultor?

Publicado por Manuela Lorenzo

Deixe seu comentário