Como posso pagar menos Imposto de Renda com plano de previdência?

Por blogicatu

Em tempos de crise e retenções financeiras, a receita é sempre economizar. Cortar umas comprinhas aqui, um jantarzinho em restaurante ali, além de reduzir tudo o que for possível. Na hora de declarar o Imposto de Renda, no entanto, o gasto é inevitável. Mas, não vamos te ensinar como fugir do imposto de renda e sim como pagar menos imposto de renda.

Apesar de não ter como fugir disso, existem maneiras de amenizar e diminuir o impacto desse imposto no seu orçamento, com as famosas deduções. A declaração de despesas com educação, saúde e dependentes são as mais comuns. Entretanto, nem sempre são o suficiente para soltar aquele suspiro de alívio.

Há um tipo de abatimento, contudo, que poucos conhecem: o plano de previdência privada. O benefício pode chegar até 12% da renda bruta anual tributável. Dessa forma, o valor a ser pago é menor ou a restituição no final do ano, maior.

Como funciona um plano de Previdência privada para pagar menos imposto de renda?

Com a crise que a Previdência Social está enfrentando a alguns anos, o mais indicado é começar a investir em um plano de Previdência Privada, e assim, além de conseguir diversos benefícios, também pagar menos imposto de renda.

Mas, o que é a Previdência Privada? 

Ela nada mais é, do que um investimento em longo prazo, cujo o principal objetivo é complementar o benefício pago pelo INSS, na aposentadoria.

E muitas pessoas possuem outras dúvidas, como por exemplo:

  • “Qual valor eu tenho que investir?”;
  • “Como pagar Previdência Privada?”;
  • “Existe mais de um tipo de Previdência Privada?”.

Por isso, vamos sanar algumas delas aqui.

Esses planos, funcionam com depósitos mensais e não existe um valor mínimo para se investir. O recomendado pelos especialistas, é poupar cerca de 10% de sua renda mensal. 

Existem dois tipos planos de Previdência Privada mais comuns. Eles são o PGBL e o VGBL, respectivamente, o primeiro significa plano gerador de benefícios livre, e o segundo, vida gerador de benefícios livres.

O PGBL, permite o abatimento das aplicações na declaração anual completa de IR, portanto, permite pagar menos imposto. Já o VGBL, não permite esse abatimento e é mais indicado para quem não é assalariado ou para quem realiza a declaração simples do IR.

Agora que você já sabe como funciona um plano de previdência privada, aprenda também sobre como pagar menos imposto de renda e como funciona o deferimento fiscal. Leia abaixo!

Como funciona o diferimento fiscal?

Aprenda como pagar menos imposto de renda com um plano de previdência privada!

Para você pagar menos imposto de renda, é importante saber que a dedução de até 12% é oferecida somente para as pessoas que possuem o Plano Gerador de Benefício Livre, mais conhecido como PGBL. O plano só é indicado para as pessoas que declaram o imposto de renda pelo formulário completo – normalmente, as que já fazem diversos abatimentos.

Para a aplicação da alíquota, é importante destacar, que deverá ser observada a faixa da base de cálculo, conforme a tabela progressiva, disponibilizada no site da Receita Federal.

A partir dessa regra, podemos demonstrar a conta com um exemplo: 

Maria Silva teve, em 2016, um rendimento bruto tributável de R$ 100 mil. Caso contribuísse com o PGBL, obteria uma dedução de R$ 12 mil.

Confira abaixo uma tabela progressiva, disponibilizada pelo Governo Federal, na qual você pode entender a diferença entre ter ou não uma previdência e notar que é possível pagar menos imposto de renda com uma previdência privada:

Tabela Progressiva anual do IR. Ano calendário 2016.

Como podemos observar na tabela, quando a pessoa realiza a contribuição podemos constatar uma diferença de R$3.300,00 no pagamento do imposto de renda.

Veja agora, uma tabela progressiva anual de imposto de renda do ano de 2016.

Além, da declaração ser feita pelo formulário completo e da dedução ser limitada a 12% do total de rendimentos, ainda existem algumas outras condições para ter acesso ao benefício:

  • O declarante deve recolher, ao menos, a contribuição mínima para o INSS ou para o regime próprio de previdência social dos servidores da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos municípios. As exceções à regra são os beneficiários de aposentadoria ou de pensão concedida pelo INSS ou ainda pelo regime próprio de previdência.
  • A contribuição do plano de previdência complementar, cujo titular ou quotista seja dependente do declarante, também pode ser deduzida do imposto de renda. O contribuinte, entretanto, deve recolher, ao mesmo tempo, para a Previdência Social ou, quando for o caso, para o regime próprio dos servidores titulares de cargo efetivo da União, dos estados, do Distrito Federal ou dos municípios, desde que seja, ao menos, a contribuição mínima. 

Poupar R$ 3.300, como no exemplo da Maria Silva, parece muito bom. Como ela vai pagar menos imposto de renda, dá até para voltar a fazer umas compras e a jantar fora. Por isso, caso se encaixe nas exigências e considere a economia significativa, procure um especialista com a finalidade de contratar uma previdência privada, pelo PGBL.

Procure um especialista na hora de prestar os seus impostos, quem sabe ele não consegue te dar algumas dicas para te ajudar a economizar, afinal, um dinheiro sobrando nunca faz mal.

Gostou de aprender como pagar menos imposto de renda com um plano de previdência? Leia também sobre O que analisar na hora de assinar um plano de previdência privada!

Publicado por blogicatu

Deixe seu comentário