Como quitar dívidas? Confira 10 dicas infalíveis!

Por Paula Lopes

Em alguns momentos se faz necessário ajustar nosso padrão de vida para evitar dívidas que podem acabar acumulando e virando uma verdadeira bola de neve. 

É comum a busca por linhas de crédito e empréstimos para tentar reverter um cenário desfavorável, mas os juros costumam ser altos e podem não ser a melhor solução. É preciso muito cuidado e avaliar bem se o financiamento cabe no orçamento. Mas e então, existe solução? Existe! 

Quer saber como quitar dívidas e retomar as rédeas de sua vida financeira? Leia este texto com atenção. Conseguir manter uma relação saudável com as finanças exige conhecimento, organização, disciplina e uma notável habilidade de adaptação. 

Acompanhe!

Os hábitos de consumo dos brasileiros 

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), publicada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apontou que, em julho deste ano (2020), o número de  famílias com dívidas no Brasil alcançou o recorde ao chegar em67,4%.  

A crise potencializada pelo novo coronavírus tem sua cota de culpa nesse resultado, mas a falta de planejamento financeiro e o consumismo ainda são os maiores vilões. Podemos confirmar este fato verificando o mesmo índice desta pesquisa em dezembro de 2019 que já chegava a 65,3%. 

Sair do vermelho e saber lidar com as finanças é urgente. A boa notícia é que mesmo em tempos de crise e ganhando pouco, é possível vencer a inadimplência e aprender como quitar dívidas.

Começa agora as 10 dicas infalíveis que preparamos para você!   

10 dicas de como quitar dívidas

Aprender como quitar  dívidas vai exigir mudança de atitude, mas seu esforço vai valer para trazê-lo de volta para seu controle financeiro para o resto da vida. 

1. Mapeie o valor total do que deve

O primeiro passo é ter a informação completa de todas as suas dívidas. Isso significa saber o produto de crédito contratado, a taxa de juros e o valor da dívida. Caso tenha dúvidas, entre em contato com a empresa com a qual possui o débito e confirme os dados. 

Faça uma lista priorizando as que possuem maior taxa de juros. Com esta informação será possível calcular quanto essa dívida compromete sua renda mensal.

O desejável é quitar tudo o mais rápido possível, mas caso o orçamento não comporte, pague primeiro as dívidas com maior taxa de juros e acompanhe com especial atenção os débitos do cartão de crédito e cheque especial pois costumam ser os mais caros e podem, rapidamente, tirar tudo do controle. 

2. Organize as finanças 

A organização do orçamento individual, doméstico e familiar é primordial na gestão das finanças em qualquer situação e torna-se ainda mais crucial na vida de quem precisa entender sobre como quitar dívidas.

Saber quanto se ganha e se gasta todo mês, e conseguir enxergar os custos de forma organizada, possibilita analisar prioridades, perceber excessos e ajuda na formulação de estratégias sobre como quitar  dívidas, sem prejudicar o pagamento dos custos mensais.  

Esta organização é uma importante etapa do planejamento financeiro. Recomenda-se o uso de planilhas para classificar os gastos e valores, facilitando a gestão. Com esta visão geral dos custos, toda decisão financeira deve ser tomada respeitando os limites de gastos. 

Toda a família deve estar envolvida e mobilizada no desafio de quitar as dívidas. Cada membro da casa pode propor soluções para reduzir as contas ou conseguir mais dinheiro, sempre respeitando os limites e prioridades. 

 3. Renegocie 

Agora que você já sabe qual é sua capacidade de pagamento mensal do que deve, entre em contato com o seu credor para renegociá-la. Ele, tanto quanto você, tem interesse em cessar essa situação.  

Lembre-se de acessá-lo em canais oficiais evitando fraudes. Em muitos casos, a renegociação pode ser feita online contando, inclusive, com simulações das novas condições de empréstimo.  

Você também pode buscar seu credor em feirões para limpar o nome. Eventos como esse costumam oferecer boas negociações e vantagens para a liquidação da dívida. 

Caso sua negociação não evolua bem com seu credor, saiba que pode procurar por alguma instituição que ofereça melhores condições de pagamento e fazer a portabilidade ou transferência da dívida. Pesquise e não desista de conseguir uma instituição que ofereça melhores condições de pagamento. 

Mas, como renegociar dívidas? 

Sua abordagem pode fazer toda diferença na hora de conseguir melhores condições de pagamento. Confira algumas recomendações: 

  1. No momento que tomar ciência de uma dívida, se apresse! Entre em contato com o credor e deixe claro sua genuína intenção em resolver a questão. 
  1. Não se intimide. Converse com o credor de igual para igual e reforce sua intenção de arcar com o débito.
  2. Negocie buscando soluções e alternativas que se adequem tanto a realidade do seu orçamento quanto a do credor.
  3. Anote todas as informações dessa renegociação: data, horário, nome do atendente, número do protocolo e o que foi acordado. Tudo isso pode ser útil caso haja algum problema no futuro. 

4. Use o 13° salário para quitar as dívidas 

O 13º salário pode ser um excelente instrumento de negociação. Use-o para quitar suas dívidas, mas lembre-se de recorrer a sua planilha de gastos e planejamento financeiro.

Fique atento as despesas. típicas do início do ano como material escolar, IPVA e IPTU. Defina uma estratégia coerente com sua situação financeira. Não adianta entender como quitar dívida e começar outra, certo? 

5. Defina metas de gastos  

Uma boa dica para entender como quitar dívidas é definir metas financeiras em família!

Para entender como quitar dívidas mais críticas observe a planilha de gastos e avalie quais são os custos fixos que podem ser cortados ou reduzidos do orçamento. Defina metas para as principais contas e lembre-se de compartilhar o desafio com a família.

Pequenas atitudes farão grande diferença. Vale fazer campanha para todos reduzirem o tempo no banho e ficar de olho em quem sai do cômodo e não apaga a luz. 

A economia, quando entendida como uma atitude sustentável, se transforma num comportamento natural que gera redução significativa dos custos mensais. Por que não fazer um esforço a mais para acelerar o equilíbrio das contas? 

Ainda sobre as contas fixas como TV a cabo e internet, busque descontos ou avalie mudanças de planos. Algumas operadoras farão seu esforço na busca pela fidelização. Caso não ache ofertas atrativas, busque opções nas empresas concorrentes. A ordem é não se acomodar.  

6. Corte despesas desnecessárias 

Em períodos de dificuldade financeira nosso maior compromisso é entender como quitar dívidas e retomar o equilíbrio financeiro. Faz sentido adotar um rigor maior na rotina, buscando uma revisão nos hábitos de consumo e lazer. 

Não recomendamos eliminar radicalmente seus programas preferidos, mas indicamos que dê preferência aos de custo reduzido e aos gratuitos. O estilo de vida de cada família vai definir o que é viável ser adequado.  

É necessário rever hábitos e comportamentos, e criar uma consciência financeira balanceando desejo e necessidade. Pense no que te fez sair do controle e chegar ao endividamento. A mudança de hábito é essencial para sua saúde financeira, não há espaço para novas dívidas.  

7. Evite parcelar compras no cartão 

O cartão de crédito deve ser um aliado permitindo que grandes valores caibam no orçamento mensal, no formato de parcelas mais curtas. Uma pequena parcela ou outra individualmente não causam grandes danos. Somadas, criam um problemão. 

Não é muito difícil as compras fugirem do controle com o uso do cartão. Procure parcelar apenas o que for essencial, como itens maiores, e busque pagar à vista valores menores. 

8. Faça uma reserva de emergência 

Para entender como quitar dívidas, além da planilha de gastos, a reserva de emergência pode ser uma aliada e compõe um planejamento financeiro mais estruturado. Este fundo de emergência serve para garantir o seu sustento e o da sua família por alguns meses, em caso de imprevistos.

Especialistas em educação financeira recomendam que o valor do fundo represente de 3 a 6 meses, no mínimo, seus custos mensais. Quanto maior a reserva, menor a probabilidade de entrar num mau endividamento.  

9. Estude mais sobre educação financeira 

Saber como e para que usar o seu dinheiro é fundamental. Buscar informações e conhecimento sobre finanças pessoais, gestão financeira e economia é determinante para se ter uma saúde financeira satisfatória. Há diversos conteúdos de qualidade disponíveis na internet.  

Você pode começar navegando pelos artigos deste blog. Indicamos também os cursos online gratuitos da Icatu em parceria com a FGV. 

Acesse aqui nossa Plataforma do Conhecimento. 

10. Comece a pensar no futuro! 

Quem já viveu uma situação difícil e precisou entender como quitar dívídas, sabe o quanto uma crise financeira afeta a vida familiar. Por isso, nossa última dica traz mais um pilar fundamental do planejamento financeiro: o investimento no futuro. 

A previdência privada é uma proposta interessante para quem busca conforto e qualidade de vida quando parar de trabalhar. E se você é o provedor financeiro de sua família, outra opção importante pode ser um seguro de vida que tenha coberturas adequadas às suas prioridades e que você possa resgatar! 

E, então? Conseguiu entender mais sobre como quitar dívidas? Esperamos que sim. Além disso, para quem se interessou e quer conhecer mais sobre as opções de previdência privada e suguro de voda, sugerimos a leituras destes posts: 

Nós somos especialistas nesses dois temas e podemos ajudar a tirar suas dúvidas. Esperamos seu contato!

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário