Dívida de idosos: você sabe o que leva ao endividamento na terceira idade?

Por blogicatu

Comprar por impulso, imediatismo, pressão social:esses são alguns dos principais comportamentos que levam ao endividamento da população. No entanto, quando falamos da terceira idade, não são esses os principais problemas que levam ao descontrole das finanças.

O que pode desequilibrar o orçamento de um idoso são, principalmente, os problemas familiares, como uma doença ou o desemprego de um filho ou de um neto.  E isso tem relação direta com dois fatores que pesquisadores já identificaram no comportamento dos idosos, que os deixam mais vulneráveis ao endividamento.

A dívida de idosos, inclusive, pode ser um fator que causa ainda mais conflitos familiares, já que, muitas vezes, são os próprios filhos que colaboram para essa situação.

Nesse sentido, é importante conversar sobre a dívida de idosos e procurar entender os motivos para o endividamento na terceira idade. Nesse artigo, você poderá sanar algumas de suas dúvidas sobre esse tema. Acompanhe!

O que causa a dívida de idosos?

Como já abordado brevemente, existem alguns motivos que explicam o processo de endividamento na terceira idade.  O primeiro deles é o desapego ao dinheiro.

No geral, os idosos têm uma generosidade alta e, no momento da vida em que estão, não almejam conquistar muitas coisas materiais. Para eles, é mais importante ajudar as pessoas do que guardar dinheiro.

O segundo motivo é uma possível  aversão ao materialismo. Se por um lado é bom, pois são valores e tornam a vida mais leve e sem tantas preocupações, por outro lado é ruim, porque acabam não controlando seus gastos como deveriam e também “emprestam” muito seu nome para compras de terceiros, principalmente, para aqueles que são familiares.

Além disso, vale alertar que os dois principais indícios de dívida de idosos são::

  • O comprometimento de, pelo menos, 30% da renda com financiamentos;
  • Ter mais de um empréstimo consignado simultâneo.

Para especialistas, a principal orientação para o idoso é que a questão não é não ajudar, mas o quanto é possível ajudar. Além disso, é preciso reforçar que eles precisam se esforçar para organizar suas finanças, e isso pode começar a ser feito de um modo simples, com anotações em um caderninho.

O importante é criar categorias, identificar gastos fixos, prestações e empréstimos. Feito isso, será possível ter uma visão realista do orçamento para poder ajudar os familiares sem impactar as finanças com dívidas.

 E como evitar as dívidas na terceira idade?

Ajudar a cuidar das finanças, mesmo que não ativamente, é uma forma de evitar a dívida de idosos! 

Evitar dívidas, independentemente do momento da vida, pode ser bastante trabalhoso – principalmente, se não há o costume de se organizar financeiramente ou de poupar. Para a terceiridade, evitar o endividamento, então, pode ser mais difícil.

Por esse motivo, os familiares e amigos precisam estar por dentro da rotina e das contas do idoso. Para te ajudar a entender mais sobre como evitar dívida de idosos, selecionamos algumas dicas importantes. Acompanhe a seguir!

1- Ajude na organização! 

Mesmo que o idoso não queira, ajudar na organização das contas ou apenas perguntar sobre elas pode solucionar algum problema ou dívida que está se formando. Estar por dentro da organização financeira dessa pessoa também é uma forma de cuidar dela.

2- Faça um planejamento financeiro 

Anotar as despesas em um caderninho e o quanto sobrou ao pagar as contas pode ser uma ótima forma de evitar dívida de idosos. De mês a mês, é possível que a família e eles mesmos tenham noção de onde o dinheiro está indo e como gastá-lo de uma melhor forma.

3- Pense um pouco mais em si mesmo

Essa é uma dica relativa, mas que pode funcionar em alguns casos de dívida de idosos. O Brasil, hoje, tem uma população de 19 milhões de idosos e de 11 milhões de jovens adultos.

Pensando nesses dados brutos, pode-se dizer que grande parte dos jovens dependem de uma pessoa idosa para viver ou, inclusive, para conseguir alcançar seus objetivos materiais.

Evitar agir pela emoção e pensar mais em si mesmo, nesses casos, pode colaborar com uma diminuição nas dívidas de idosos. Além disso, aprender a dizer não também é importante.

4- Não dependa somente do INSS

Depender apenas do baixo valor da aposentadoria que o INSS prevê também é uma forma de criar dívida de idosos.

Na terceira idade, os gastos com saúde e remédios costumam ser maiores e, para que não haja problemas financeiros diante desses despesas, é importante procurar investimentos que colaborem para esse período da vida, como a Previdência Privada, por exemplo.

Essas são algumas dicas para evitar a dívida de idosos! Lembre-se, inclusive, que mesmo que você não seja uma pessoa da terceira idade, envelhecer é um processo natural e se preparar para esse momento é importante.

Para saber mais sobre como evitar problemas financeiros na terceira idade, clique aqui! Aproveite e leia também sobre qualidade de vida na terceira idade!

Publicado por blogicatu

Deixe seu comentário