Mudança de emprego: saiba como se preparar financeiramente!

Por Paula Lopes

Em 2019, uma pesquisa realizada por um site de vagas indicou que 92%, dos mais de 7 mil respondentes, declararam a intenção de mudança de emprego para 2020.

A tendência já aparecia em pesquisas anteriores como a realizada em 2017 pelo instituto Gallup. Nela, 72% dos profissionais disseram não gostar do próprio trabalho e, 18% desses insatisfeitos, estariam dispostos a prejudicar a empresa onde atuam. 

A busca por mudanças na vida profissional é um processo natural, mas deve ser saudável. Desejar melhores condições salariais, evolução na carreira, desenvolvimento de novas competências ou, simplesmente, um local mais conectado aos valores pessoais e propósito de vida, é um movimento bem visto, mas é ainda melhor quando bem planejado.

As diferentes relações de trabalho e demandas específicas trazidas por cada geração têm estabelecido ciclos profissionais mais curtos, outra tendência que vem ganhando força.   

Portanto, se uma mudança de emprego está nos seus planos, siga conosco até o final deste post para saber como dar esse passo da melhor forma! 

Como saber a hora certa para uma mudança de emprego? 

A mudança de emprego é uma decisão que deve ser planejada e, de preferência, motivada pelo sucesso a longo prazo e novos aprendizados.  

É crucial ter uma visão realista das organizações. Muitas empresas anunciam promessas de ambientes de trabalho e culturas organizacionais excepcionais que, de fato, não representam a realidade. O marketing de recrutamento pode confundir sua percepção. 

Todas as empresas têm qualidades e defeitos. Garanta uma mudança baseada em questões concretas alinhadas ao seu perfil e motivações pessoais. 

O salário, sem dúvida conta, e a estabilidade financeira também é primordial na transição. Mas, na hora da mudança de emprego, o que deve ser colocado na balança além da remuneração? 

Insatisfação 

A mudança de emprego não deve ser uma atitude reativa, motivada pelo acúmulo de diferentes dissabores. Nosso ânimo frente a rotina e desafios do dia a dia devem ser observados e podem nos sinalizar de forma bem precisa a hora de mudar. 

Quando levantar da cama se torna um fardo diário e você conta os segundos para as férias, se pergunta a todo momento o que está fazendo da vida, é um sinal que algo não vai bem! 

Não despreze esses sinais. Faça uma pausa e analise as causas de tanta insatisfação. A ausência de metas desafiadoras é um fator muito comum, catalisador do desejo de mudança.  

Desvalorização 

Hoje em dia todos os profissionais são cobrados por alta performance. Quem mantém uma consistência na qualidade das entregas, entretanto, nem sempre tem o retorno da organização na mesma potência e velocidade.

A falta de transparência e alinhamento de expectativas pode se tornar extremamente frustrante. Não se sentir devidamente valorizado, com recorrência, é um fator que pesa na decisão da mudança de emprego. 

Avalie com maturidade as razões pela falta de reconhecimento e tenha um número em mente: atualmente, o tempo médio de permanência do brasileiro em um emprego é de 3,1 anos a 3,3 anos. Esse norte temporal pode ajudá-lo a decidir se vale ou não a pena insistir e esperar.  

Necessidade de novos desafios 

Quem passa seus dias de trabalho sem grandes exigências ou novos estímulos para o desenvolvimento pessoal e técnico, não deve se acomodar. Essa situação pode custar caro para a carreira. Busque, por conta própria, novas certificações ou cursos em distintas áreas de conhecimento.  

Algumas pessoas encontram situações que demandem seu aperfeiçoamento mudando de área dentro da mesma empresa. Caso esta opção não seja possível, vale a pena avaliar outro lugar para trabalhar. 

A importância da preparação financeira na mudança de emprego 

Uma mudança de emprego exige planos. Esteja preparado!

Momentos de mudança são sempre delicados e na mudança de emprego ou carreira não é diferente. Em maior ou menor grau existe uma carga de preocupação, afinal, nossas contas continuam chegando, alheias a qualquer mudança ou imprevistos. 

Aqui o seu planejamento financeiro deve estar organizado para dar suporte a seus planos profissionais. Passar por esse período com tranquilidade e segurança financeira, é a base de uma boa estratégia.

Como se planejar para a mudança de emprego? 

Durante a troca de emprego, pode ser que nem tudo aconteça exatamente como o planejado. Sua missão é estar preparado para manobrar as eventualidades.  

Quite suas dívidas 

Se administrar dívidas já é uma situação crítica num contexto “normal”, pior em momentos de mudanças. Não sabemos as situações que podem surgir e a palavra de ordem é evitar empréstimos a vencer.  

Lembre-se que na mudança de emprego seu salário inicial talvez seja menor e você tenha que ajustar seu padrão de vida

Tenha uma reserva de emergência  

Como falamos a troca de emprego deve ser pensada e planejada, um processo arquitetado para começar cerca de um ano antes da real mudança. Neste período, você deve continuar sua preparação financeira. Além da quitação das dívidas, inclua a construção de uma reserva de emergência que deve dar conta de suas despesas pessoais e familiares por um período de, pelo menos, seis meses. 

Se desenvolva profissionalmente 

As gerações mais jovens já estão vivendo a era do aprendizado contínuo, onde a busca por desenvolvimento e atualização em diferentes áreas do conhecimento é constante e fundamental para a vida e a carreira, especialmente em uma mudança de emprego.  

A velocidade com que as novas tecnologias estão transformando o mercado vai exigir, cada vez mais, essa competência. A novidade de hoje, torna-se perecível amanhã. É indispensável se atualizar!

Estabeleça metas 

Nosso horizonte deve ser tão largo e inspirador quanto nossos desejos, mas só vamos ser eficientes na mudança se definirmos metas. Isso inclui especificar um objetivo, definir prazo para conquistá-lo e um plano de ação. Envolva todos – família e amigos – nessa missão de mudança de emprego. 

Invista seu dinheiro 

Todo o esforço feito para a construção de sua reserva de emergência e outras economias deve ser aplicado, mas sempre de maneira inteligente e responsável. Caso ainda não tenha começado a investir, não tem problema! Comece descobrindo o seu perfil de investidor!  

Pronto! Agora você já sabe que a mudança de emprego é um processo que exige foco e preparação. Nada de tomadas de decisões inconsequentes e apressadas. Cuide para que a transição seja mais um passo à frente!

Quer saber como fazer investimentos com maior segurança e retorno? Descubra aqui

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário