Cobertura Majorada: sabia que existe seguro de partes do corpo?

Por Diana Dantas


Só tomamos consciência da importância de determinadas partes do corpo quando elas doem, como por exemplo, ao cortar a ponta do dedo com uma folha de papel. 

Uma ferida pequena, como nesse exemplo, provocada de forma boba, possui uma enorme capacidade de atrapalhar a vida. Escrever no computador, se for um indicador, pode ser um martírio. Caso seja o polegar, até digitar no celular é complicado. Agora, imagina perder o dedo todo ou, pior, a mão inteira?

Em um país que estava no ranking com a quarta maior taxa de acidentes de trânsito da América Latina – 23,4 mortes a cada 100 mil habitantes, em 2016, segundo a Organização Mundial da Saúde -, essa hipótese não está tão distante assim de nossa atual realidade e, infelizmente, pode acontecer com qualquer pessoa.

Em um relatório feito pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), foi revelado que o número de mortes em acidentes de trânsito continuam aumentando nas Américas, alcançando o número de 155 mil por ano, isso equivale à 11% do número total do mundo.

Existem inúmeras maneiras de perder um membro ou função dele, como sofrer outros tipos de acidente ou ser acometido por uma doença grave.

Por isso, quando se depende de alguma parte do corpo para trabalhar é necessário tomar um cuidado redobrado, a fim de garantir a fonte de sustento. Um cirurgião, por exemplo, precisa que as suas  mãos e  visão estejam  100% para exercer a  sua profissão .

Logo, é importante ter um seguro de partes do corpo que preserve a renda familiar diante dessas situações e imprevistos que podem comprometer a sua saúde física, emocional e financeira.

O que é majoração no seguro de vida?

A majoração no seguro de vida nada mais é do que uma cobertura para proteger partes específicas do corpo, ou seja, um seguro de partes do corpo. Ela é indicada para profissionais que suas profissões dependem muito de algumas partes do corpo, pois se ocorrer um acidente, por exemplo, essa pessoa não ficaria desamparada, sem nenhuma renda.

Como funciona a cobertura majorada?

A cobertura majorada, como já vimos, é uma proteção extra. Ela influencia diretamente a cobertura de invalidez permanente quando ocorre um acidente e um membro importante do corpo, que está na lista de majoração, é acometido.

Essa cobertura é importante para alguns profissionais, pois com a cobertura de invalidez permanente, se ocorrer um acidente, a pessoa afetada receberá uma indenização baseada no percentual de uma tabela, que leva em conta o membro corporal prejudicado e o grau de invalidez, ou seja, essa pessoa não recebe o valor integral da indenização.

Já com a cobertura majorada, se essa parte do corpo estiver na lista de majoração, ou seja, for de total importância para o exercício da profissão de uma determinada pessoa, ela receberá a indenização integral do contrato.

Ela já é inclusa na cobertura de invalidez permanente?

Não. Essa cobertura é uma proteção extra, oferecida em casos que a pessoa não possa exercer a profissão sem determinada parte do corpo.

Para quais profissões a cobertura majorada é indicada?

Várias profissões podem ter esse seguro de partes do corpo, variando apenas por quais são as partes mais importantes para o exercícios de cada uma.

A cobertura majorada é indicada para diversas profissões que a limitação de um membro específico do corpo pode impactar no impedimento da pessoa voltar ao exercício de sua profissão.

Para exemplificar, um médico-cirurgião ou fisioterapeuta, por exemplo, ficam dependentes de suas mãos e olhos para poderem exercer a profissão. Já um jogador de futebol, depende muito mais de sua pernas, pés e olhos. 

As mãos, olhos e pés são apenas exemplos. Há, ainda, a viabilidade de relacionar os dedos indicadores e polegares, o olho, o cotovelo e até o ombro, em algumas situações. 

A majoração, normalmente, é muito indicada a profissionais liberais, como médicos e dentistas, que dependem diretamente do bom funcionamento dos membros para trabalhar.

Saiba quais são os seguros mais indicados para os médicos

Seguro de partes do corpo: entenda tudo 

Muitos profissionais não sabem, mas várias seguradoras oferecem a possibilidade de incluir a proteção de partes do corpo em um seguro vida. Basta pedir, na hora de firmar o contrato, a majoração da cobertura de Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente (IPA). 

Como explicamos nos tópicos acima, em vez de receber apenas parte do capital pela invalidez parcial, o cliente recebe todo o dinheiro, caso o membro ou órgão comprometido esteja listado nas condições gerais da apólice. Isto é, se a perda total ou funcional das mãos de um dentista estiver descrita no seguro, ele recebe todo o valor estipulado.

A indenização, geralmente, é utilizada na forma de renda complementar à oferecida pelo auxílio-doença ou pela aposentadoria por invalidez do INSS. Além de ajudar nos gastos da casa, o dinheiro extra poderá cobrir as despesas de saúde do paciente, em remédios, tratamentos de reabilitação e equipamentos de acessibilidade.

Desse modo, o segurado e seus familiares são capazes de permanecer tranquilos. A vida é repleta de inesperados, mas quando se está bem amparado, as dificuldades provocadas por eles têm a possibilidade de serem superadas de uma maneira menos conturbada. 

Gostou de aprender como funciona o seguro de partes do corpo e o que é majoração? Leia agora o que é um beneficiário de seguro de vida.

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário