Seguro para doenças graves pode ajudar nas despesas, caso você for diagnosticado

Por Diana Dantas

A informação de que um familiar ou um amigo querido está com uma doença grave mexe com todos, não é mesmo? O principal impacto acontece, no entanto, na rotina e na estrutura do próprio enfermo e dos parentes mais próximos. Além de um cotidiano de dor e sofrimento, os elevados gastos com médicos e tratamentos são capazes de comprometer boa parte do orçamento de uma casa.

Segundo o Sistema Nacional de Transplante, até 30 de junho de 2016, a fila para a cirurgia ultrapassa 42,5 mil.

Existem, ainda, por ano, mais de 120 mil pessoas em tratamento de diálise peritoneal, indicada para pacientes com insuficiência renal, de acordo com o último censo, da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Já a estimativa para novos casos de câncer, conforme pesquisa do Instituto Nacional do Câncer, do ano passado, era de quase 600 mil.

Os dados não são muito bons. Muitas dessas doenças são difíceis de serem prevenidas, para se ter uma ideia, apenas ⅓ dos casos de câncer podem ser evitados, segundo o mesmo estudo do INCA, citado acima.

Uma das poucas formas de cuidado que os médicos costumam indicar, é manter um estilo de vida saudável, com uma alimentação regrada, prática regular de exercícios físicos, consumo moderado de álcool, além de não fumar.

Diante de todos esses dados, sabemos que não é possível ter 100% de certeza sobre o futuro em relação às enfermidades, então, o que é possível fazer para amenizar o sofrimento?

Uma boa alternativa é contratar um seguro para doenças graves ou seguro dg, por isso, vamos falar um pouco mais sobre ele nesse conteúdo.

Além de muito amor e carinho das pessoas ao redor, que dinheiro nenhum no mundo compra, fazer um seguro para doenças graves pode ajudar no equilíbrio financeiro da casa e evitar desgastes desnecessários, para focar naquilo que realmente importa: a saúde.

A cobertura do seguro para doenças graves (seguro dg)

Mas, como um seguro de vida, que costuma ser resgatado na hora da morte, pode ajudar?

Entre as opções de coberturas, muitas seguradoras oferecem, atualmente, o seguro para doenças graves (ou DG). Na hipótese de um cliente ser diagnosticado com câncer, por exemplo, ele recebe uma indenização, que chega até o valor total do capital contratado.     

Esse dinheiro pode ser usado para as mais diversas necessidades. Entre eles, os custos da casa (já que o segurado não é capaz de trabalhar), a compra de remédios, de alimentação especial, as consultas médicas e exames, entre outros.

Um seguro para doenças graves pode ajudar a manter as contas da sua família em dia, caso alguma enfermidade lhe ocorra.

Adicionalmente, pode pagar hospitais melhores, cirurgias e tratamentos específicos, que não são cobertos pelos planos de saúde ou pelo SUS. Ou seja, com o valor da indenização, talvez, seja possível salvar, prolongar a vida do paciente ou ainda mitigar os danos causados pela enfermidade.

Imaginar acontecimentos tão tristes assim não é algo fácil de se fazer. Requer planejamento e visão de longo prazo. Às vezes, porém, é preciso coragem, caso queiramos um futuro melhor para nós e para a nossa família.

Por isso, pense bem. A cobertura do seguro para doenças graves, hoje, pode ser fundamental para a manutenção da sua vida e de seus familiares no futuro.

Quais são as condições para contratar um seguro para doenças graves?  

A idade de limite para a contratação de um plano e os tipos de doença cobertos pela seguradora variam, de empresa para empresa.

Normalmente, as seguradoras que oferecem seguro para doenças graves, incluem nele:

  •  Câncer: diversos tipos dessa doença são cobertos pelo seguro dg, alguns incluem leucemias e doenças malignas no sistema linfático;
  • Acidente vascular cerebral (AVC): muitas seguradoras cobrem as hemorragias cerebrais, exceto as causadas por tumor cerebral, acidentes, cirurgia no cérebro ou obstrução da artéria oftálmica, que pode resultar em dano neurológico;
  •  Infarto agudo do miocárdio;
  •  Insuficiência renal;
  • Cirurgia de bypass;
  • Alzheimer;
  • Paralisia de membros;
  • Transplantes de órgãos, como exemplo, coração, medula, fígado, rins, pâncreas ou pulmão.

Avalie a seguradora que oferece as melhores condições e considere incluir essa cobertura na apólice. Prevenir é sempre melhor do que remediar.

É essencial deixar claro que o seguro dg é pago quando acontece o primeiro diagnóstico certo de uma das doenças que citamos acima. Isso quer dizer que, como muitos outros seguros, o valor da indenização é recebido somente uma vez. Se o indivíduo tiver mais de uma vez alguma dessas enfermidades, ele receberá somente na primeira vez.

Agora que você já sabe tudo sobre seguro para doenças graves, leia também sobre a importância do seguro de vida nas diversas fases da vida!

 

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário