Tudo sobre previdência privada: um guia do tema!

Por Diana Dantas

Ao envelhecer, a disposição para trabalhar não é mais a mesma. A impaciência com algumas situações no emprego torna-se maior. A vontade de se libertar da rotina maluca do dia a dia, de levar uma vida mais calma e de ter novas experiências também aumenta. Entretanto, nem sempre querer é poder.

Para realizar todos esses sonhos, às vezes, é necessário ter uma renda complementar, na qual se possa contar. Existem várias formas de acumular capital ao longo dos anos. Uma das melhores é adquirir uma previdência privada. Mesmo assim, apenas 10% dos brasileiros têm um plano, de acordo com uma pesquisa do Datafolha, de maio de 2017.

Os dados revelam ainda que a maioria dos contratantes são pessoas de maior renda e escolaridade. Dos segurados, 22% são graduados e apenas 5% chegaram ao fim do Ensino Fundamental. Os números são bem baixos para um país, como o Brasil, em que a importância de ter uma renda extra torna-se cada vez mais evidente.

Visto isso, fizemos esse guia onde vamos abordar tudo sobre previdência privada, a fim de sanar as dúvidas para que você possa começar o seu planejamento previdenciário o mais rápido possível. Vamos lá?

O que é uma Previdência Privada?

Para chegar bem na terceira idade é preciso ter planejamento, por isso, confira tudo sobre previdência privada e prepare a sua aposentadoria.

Para abordar tudo sobre previdência privada não podemos deixar de começar explicando o que ela é, não é mesmo? Acompanhe!

Ela é um excelente tipo de investimento para o longo prazo. Embora este seja um dos focos, uma coisa que muita gente não sabe é que ela não precisa ser utilizada, necessariamente, para uma aposentadoria.

A previdência privada pode ser o investimento ideal para auxiliá-lo na realização dos seus sonhos, sejam eles uma viagem internacional em família, o pagamento da faculdade dos filhos ou alcançar a independência financeira.

Principais características da Previdência Privada

 Confira algumas das características da previdência privada:

  • Possui um caráter complementar e voluntário, visto que é feito, autonomamente, em relação à Previdência Social;

  • Não tem o mecanismo de tributação come-cotas, que é uma tributação presente em fundos de investimentos abertos que torna possível o desconto, semestral, do imposto de renda na forma de cotas, mesmo sem a realização de resgates;

  • É seguro, já que é baseado nos regulamentos de reservas que garantem que os benefícios contratados sejam usufruídos pelo cliente; e

  • Os planos são oferecidos por empresas abertas ou fechadas.

Essas são as principais características e como você já as conheceu, que tal acompanhar quais são os tipos existentes de previdência privada? 

Tipos de Previdência Privada

Existem, basicamente, dois tipos de previdência e para que este artigo contemple tudo sobre previdência privada, vamos abordá-los, a seguir:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O primeiro deles é o plano gerador de benefício livre, também conhecido como PGBL. Ele pode ser muito vantajoso para quem faz a declaração de IR na forma completa, já que se torna possível a dedução de até 12% da renda bruta anual tributável.

Vale ressaltar que no momento de usufruto da previdência, o imposto de renda é calculado sobre o valor total (montante= dinheiro + rentabilidade).

Para saber mais sobre PGBL, clique aqui!

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

O segundo e último tipo de previdência privada é o vida gerador de benefício livre ou mais conhecido como VGBL. Ele é ideal para quem declara o IR na forma simplificada e, no momento do usufruto, o imposto incidirá sobre a rentabilidade e não sobre o montante, como o anterior.

Outra diferença entre eles é que nos planos VGBL não é possível ter a dedução no imposto de renda.

Caso queira saber mais sobre VGBL, clique aqui!

A diferença entre a Previdência Social e a Privada

Somente com a previdência social pode não o suficiente para você realizar os seus sonhos no futuro, por isso, aprenda tudo sobre previdência privada e faça um plano ideal para você!

As diferenças entre a Previdência social e a privada são muitas, no entanto, a que mais destaca-se é que a social é pública e toda pessoa que trabalha com a “carteira assinada” está vinculado à ela, já que é gerida pelo INSS

Oferecida por instituições, como bancos, seguradoras e corretoras, a previdência privada possui caráter complementar à renda, oferecida pelo governo, através da previdência social e é fiscalizada pelo órgão SUSEP ou pelo PREVIC, dependendo da modalidade. 

Agora que você já aprendeu qual é a principal diferença entre a previdência privada e a social, vamos ver quais são as taxas dos planos da previdência complementar? Acompanhe!

As taxas dos planos de Previdência Privada

Assim como os outros fundos de investimentos, a previdência possui algumas taxas e elas não poderiam ficar de fora do nosso guia de tudo sobre previdência privada, não é mesmo? Veja, a seguir, quais são elas:

Taxa de administração

A taxa de administração é um valor fixo pago para a empresa que mantém o seu fundo de previdência privada. Não existe uma data fixa para o pagamento dessa taxa e esse percentual incide sobre o montante aplicado.

Taxa de carregamento

Já a taxa de carregamento, é cobrada em cima de cada aporte realizado, mensalmente. Essa taxa é recebida para arcar com os custos da empresa ao administrar as aplicações.

Taxa de saída

A última taxa é a de saída e ela é cobrada pela administração do seu plano quando é realizado o resgate do investimento. 

Até aqui, você aprendeu o que é previdência privada, os tipos existentes, qual a diferença entre ela e a social e quais taxas são incidentes nesse fundo de investimentos. Para abordarmos tudo sobre previdência privada, agora vamos falar sobre como declará-la no IR. Acompanhe! 

Como declarar sua Previdência Privada no Imposto de Renda

Quando receber o benefício, é importantíssimo não esquecer de declará-lo no imposto de renda, por isso, vamos abordar, neste guia de tudo sobre a previdência privada, como declarar o valor no IR. Confira, a seguir!

Tudo vai depender se a retirada for feita pelo titular de um PGBL ou de um VGBL. 

PGBL

Falando do recebimento por um titular de um PGBL, o montante recebido deve ser informado, integralmente, na tabela progressiva (quadro de rendimentos tributáveis de pessoas jurídicas) ou na regressiva (ficha de rendimentos sujeitos à tributação exclusiva), já que a taxa incide sobre o valor total da retirada.

VGBL 

Já os titulares de VGBL, devem dar baixa na declaração de bens no valor que corresponde ao percentual do resgate realizado. 

Se o regime for de tributação progressiva, o ganho de capital, já líquido de IR, deve ser adicionado na tabela de Rendimentos Tributáveis na Declaração de Ajuste Anual. Caso seja na tabela regressiva, o valor deve ser colocado na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”.

A importância da previdência privada

Saber tudo sobre previdência privada e planejar o futuro é fundamental para conseguir realizar os seus sonhos e de sua família!

A previdência privada funciona como um seguro e, por isso, é regulamentado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), uma entidade do governo federal. 

O fato de não ser ligada à Previdência Social traz inúmeras vantagens ao cliente, pois ele fica independente das regras e dos problemas do órgão, como o teto da aposentadoria (R$ 5.531,31, em 2017) e o déficit de R$ 202 bilhões, previsto para 2018.

Para ter um futuro confortável, o cliente precisa começar a poupar o mais cedo possível. Desse modo, conseguirá usufruir da renda ainda jovem e com saúde. Diferente do INSS, ele pode retirar o dinheiro quando precisar. Só é importante estar atento às especificidades de cada plano a fim de evitar um prejuízo no momento de sacar.

Como os planos funcionam?

Há dois planos à escolha do contratante: o PGBL e o VGBL, como já abordamos acima. O primeiro, apropriado aos que utilizam o formulário completo do IR, oferece uma dedução fiscal de até 12% da renda tributável. Já o segundo não dá o desconto, pois é voltado aos isentos ou aos declarantes do formulário simples. Cada um disponibiliza duas taxas distintas, destinadas a pessoas com objetivos diferentes.

  • Tabela progressiva – ideal para o cliente interessado em investir no curto e no médio prazo. O cálculo da declaração segue a mesma regra das alíquotas do IR anual, estipuladas pela Receita Federal.

  • Tabela regressiva – caso o objetivo seja se aposentar, o segurado deve optar por essa tributação. Isso ocorre porque as contribuições aplicadas por mais tempo possuem alíquotas menores. Quer dizer, se a pessoa investe por mais de dez anos, o imposto será de apenas 10%.

A regressiva também permite ao segurado escolher ganhar uma renda mensal. Assim, dispensa a preocupação em administrar o dinheiro sacado e protege o poder de compra, visto que há um reajuste anual da inflação. 

Ainda é possível fazer uma cobertura de Proteção Familiar. Dessa forma, em caso de imprevisto, antes de o valor acumulado ser o suficiente, os parentes do contratante receberão a quantia poupada, para ajudar nos gastos com os estudos dos dependentes, na quitação de dívidas ou na despesa do inventário.

Caso você queira garantir uma aposentadoria sem necessitar, exclusivamente, do INSS, pense em uma previdência privada. Ela é o seguro de uma terceira idade mais tranquila.

Vantagens da Previdência Privada

Além de garantir um futuro mais tranquilo para sua família, a proteção financeira pode ser um dos grandes atrativos!

Por último, neste guia de tudo sobre previdência privada, não poderia faltar quais são as vantagens desse fundo de investimento, não é mesmo? A seguir, confira quais são elas!

O primeiro dos inúmeros benefícios da previdência privada é que a rentabilidade ocorre sobre o valor total da aplicação, já que o IR só é descontado na hora do resgate ou no pagamento da renda na aposentadoria.

Um benefícios que já abordamos nos tópicos acima, mas vale ressaltá-lo aqui é para que quem declara o IR pelo formulário completo e possui o plano PGBL ocorre o desconto de até 12% da renda tributável.

Outro benefício da previdência privada é a possibilidade de se planejar com antecedência. Ao contratar um plano, a pessoa escolhe a soma que vai contribuir e receber. É, claro, uma é proporcional a outra. Ou seja, quanto maior o depósito, melhor o resgate.

Além de tudo o que falamos até aqui, a previdência pode ser a solução para aqueles que não são muito disciplinados com as finanças, já que pode possibilitar a realização de sonhos e objetivos financeiros a longo prazo.

Gostou do nosso guia de tudo sobre previdência privada? Então, confira também 7 dicas para ter mais qualidade de vida na terceira idade!

    

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário