Veja como a incerteza política está frustrando a recuperação econômica brasileira

Por Manuela Lorenzo


Muito se fala sobre o aumento da incerteza político-econômica e como isso tem impactado negativamente a economia brasileira nos últimos anos.

Pelo menos, até sabermos o resultado das eleições em outubro, não se espera uma mudança desse cenário de incerteza no Brasil. Você quer saber como a incerteza têm afetado a recuperação econômica brasileira? Leia abaixo!

No Brasil, enfrenta-se, há alguns anos, um período de alta incerteza político-econômica. Vários eventos como os desdobramentos da Operação Lava Jato, o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e, mais recentemente, a prisão do ex-presidente Lula amplificaram ainda mais a crise política no país. Além disso, preocupações com a piora das contas fiscais e a incapacidade de se realizar as reformas necessárias, como a reforma da previdência, também contribuíram para manter o grau de confiança dos agentes em níveis historicamente baixos.

O gráfico abaixo mostra o Índice de incerteza político-econômica do Brasil (EPU) de janeiro de 2000 a agosto de 2018. O último e mais alto pico foi devido ao escândalo da Operação Carne Fraca em março de 2017.

Fonte: ‘Measuring Economic Policy Uncertainty’ by Scott Baker, Nicholas Bloom and Steven J. Davis at www.PolicyUncertainty.com

Ano passado, a economia brasileira finalmente começou a se recuperar da profunda recessão de quase três anos que assolou o país, porém a retomada do crescimento tem sido mais lenta do que o esperado. É verdade, que todos os países emergentes têm sofrido com a piora das condições da economia mundial esse ano e aumento da incerteza no âmbito internacional, frente as crescentes ameaças de guerra comercial pelo governo americano e China. E o Brasil, ainda sem ter se recuperado totalmente da crise, tem sofrido ainda mais devido as próprias incertezas internas e os efeitos da disputa eleitoral. Diante da indefinição sobre o próximo governo e as políticas que serão tomadas, os investidores internacionais têm se tornado cada vez mais desconfiados em relação à economia brasileira, sendo o dólar alto o indicativo mais visível disso.

 

Mas afinal, o que é incerteza?

A definição moderna do conceito de incerteza foi cunhada pelo economista Frank Knight, em seu livro “Risk, Uncertainty & Profit”, de 1921. Nele, o autor expõe a distinção entre os conceitos de risco e incerteza, definindo a possibilidade de mensuração como chave para o entendimento dessa relação.

Segundo Knight, o risco é algo passível de mensuração, por meio do qual é possível estimar a probabilidade de ocorrência de um evento através de inferência estatística. Diferentemente de risco, a incerteza é uma situação expressa por valores indeterminados e não quantificáveis. Fenômenos como guerras, obsolescência de uma invenção e a taxa de juros de determinado país em 20 anos são eventos futuros sobre os quais não existem elementos para especificar uma probabilidade. Em resumo, a incerteza econômica reflete o desacordo de consumidores, empresários e agentes de políticas sobre o futuro.

Agora, você já deve estar se perguntando: como é que a incerteza político-econômica atinge a produção de um país? É simples, influenciando o comportamento dos agentes!

Com a dificuldade de se projetar o cenário futuro com um mínimo de clareza, os agentes tendem a postergar a decisão de investimento ou consumo, aguardando períodos mais estáveis. Dessa forma, o ambiente com muita incerteza parece diminuir a vontade da firma de contratar e investir, assim como dos consumidores de gastar. Além disso, poupadores e investidores só arriscam seu capital porque esperam obter um retorno no futuro, então em momentos de incerteza os agentes acabam optando por investir em outros países que irão lhes garantir mais segurança. O desempenho econômico negativo do Brasil e o alto nível de incerteza se retroalimentam, um reforçando o outro. Isso porque, ao mesmo tempo em que o aumento da incerteza impede uma recuperação econômica, a recessão colabora para tornar o cenário ainda mais incerto.

O que eu devo fazer em momentos de incerteza como esse?

  1. Fale com um especialista em investimento!

Primeiro, é muito importante falar com um especialista que possa te ajudar.

  2. Mantenha-se informado!

Manter-se informado sobre os acontecimentos do mercado é de extrema importância para saber melhor quais decisões tomar em momentos de incertezas.

  3. Evite tomar riscos excessivos!

Nessas horas evite tomar muito risco. Renda fixa pode ser uma boa opção para o investidor cauteloso pois traz mais segurança, apesar de render menos hoje em dia com a queda dos juros.

Para os mais ousados, segundo especialistas, os períodos de instabilidades podem ser um ótimo momento para adquirir ações de empresas boas, que podem estar sendo cotadas a um preço menor do que elas realmente valem. Para investidores que focam no logo prazo, essa baixa dos preços pode ser uma boa oportunidade. Porém, não se esqueça de analisar sempre de forma criteriosa os fundamentos das empresas, verificar a possibilidade de lucros no longo prazo, bem como informações sobre o setor, nível de endividamento da empresa, margens de lucro, geração de caixa, etc.

A única certeza que temos no momento é que a volatilidade e a incerteza político-econômica vão continuar em patamares altos, pelo menos até a eleição.

 

 

 

 

 

Publicado por Manuela Lorenzo

Deixe seu comentário