Custo de vida: o que é e como calculá-lo? Aprenda!

Por Paula Lopes

Foi divulgado o ranking das melhores cidades para se viver no Brasil. É imediato, instintivo e involuntário. Você vai querer saber quais são, quais foram os critérios de avaliação (será que se encaixam com as suas prioridades?), e qual o preço disso tudo ou, melhor traduzindo, o custo de vida da região

Mas você sabe, de fato, o que é custo de vida? O que ele tem a ver com seus desejos e sonhos? Será que pode influenciar suas decisões?  

Neste artigo, além de explicar o conceito de custo de vida, vamos ensinar você a calcular o seu. Afinal de contas, sonhar não custa nada, mas realizar um sonho, pode ser que sim.  

O que é custo de vida?

Vamos começar pela explicação mais simples e direta: seu custo de vida são os  custos mensais, a soma de todas as suas despesas no mês, incluindo despesas básicas, como: moradia, alimentação, combustível, internet, impostos, assistência médica e outros itens do dia a dia. 

Para organizá-lo você deve anotar, literalmente, todos os gastos e classificá-los em categorias e a gente pode ajudar. Conheça o Plano de orçamento tipo ABCD. Se for mais fácil para você, assista, abaixo, ao vídeo e aprenda o que é o orçamento ABCD e como fazê-lo de uma maneira mais rápida e acessível!

Agora, vamos voltar para o conceito de custo de vida. Se estamos afirmando que custo de vida é um valor individual, ele varia conforme a renda, estilo de vida e condições de cada um. De fato, o seu custo de vida é único e particular. 

Porém, o custo de vida, citado no primeiro parágrafo desta matéria, é um índice econômico calculado sobre a soma dos preços médios pagos por bens e serviços em um determinado lugar.

Seu objetivo é indicar para as pessoas quanto custa para viverem em uma cidade, estado ou país. Este indicador permite que se crie uma referência a ser considerada, independente das variadas condições de cada pessoa.  

O seu custo de vida particular e suas despesas específicas podem estar abaixo ou acima deste índice referência.  

Diversas instituições. como: DIEESE, FIPE, FGV e IBGE divulgam seu próprio índice de custo de vida. Cada uma possui sua metodologia de cálculo, cesta de produtos e serviços pré-determinados,  a partir de seus próprios critérios. 

Normalmente, este índice é calculado de acordo com diferentes perfis, definidos por faixas de renda. A renda impacta fortemente o padrão de consumo e estilo de vida de um grupo, sendo essencial para a definição do índice de custo de vida. 

A importância em calcular o custo de vida 

Saber calcular seu custo de vida não é uma questão de controle ou simples mapeamento de gastos mensais. A organização do orçamento faz com que suas prioridades se materializem em dimensões palpáveis e passíveis de comparação dentro de seu próprio universo de despesas.

Conforme sua evolução e amadurecimento nas práticas de educação e gestão financeira verá os gastos cada vez mais alinhados aos objetivos financeiros. 

Além disso, a consciência de sua situação financeira vai lhe trazer mais discernimento no padrão de consumo, vai torná-lo mais responsável com o dinheiro, vai gerar uma mudança de mentalidade com potencial para aumentar sua qualidade de vida e transformar sua prosperidade financeira. 

Será que há excessos? Qual item mais pesa no bolso? Quais caminhos e alternativas são possíveis para ajustá-lo? Não há dúvida de que saber calcular seu custo de vida vai influenciar nas suas decisões, podendo ter reflexos inclusive no seu acúmulo de patrimônio e investimentos.  

Como calcular o custo de vida? 

Agora, vamos aprender como calcular o custo de vida? Os gastos devem ser divididos em duas categorias: gastos fixos e gastos variáveis. O custo de vida será equivalente ao custo total ou a soma desses dois gastos.

Os gastos fixos se mantém mês a mês, obrigatoriamente, como por exemplo: água, energia, gás, escola, convênio médico, celular e internet.  

Já os gastos variáveis mudam a cada ciclo mensal. Podemos citar, como exemplo, algum reparo na casa ou no carro, viagem de férias, gastos com combustível e alimentação, além dos impostos anuais, como o IPTU. 

Como os gastos variáveis permitem mais flexibilidade, trabalhe para reduzir ao máximo seus custos fixos. É recomendado a revisão de hábitos e comportamentos. Muitos consideram, inclusive, movimentar-se em busca de um novo lugar para morar.  

Caso esta seja a  sua situação , você já sabe o que fazer: pesquise o custo de vida na região.  

Por que comparar o custo de vida antes de mudar de cidade? 

Como já abordamos,  antes de embarcar rumo a outra cidade é importante verificar o custo de vida daquele destino combinado às perspectivas de ganho salarial. O quão caro é viver lá? Como serão afetados seu padrão de vida e poder de compra? Há informações disponíveis sobre a média salarial neste local? 

Imagine que na hora de decidir entre duas localidades com custos de vida equivalentes, você tome conhecimento de que em uma delas as faixas salariais são 20% mais baixas. Essa redução não traz vantagem e anula os ganhos que teria com a redução estimada no custo de vida. Percebe como a combinação de informações, nessas duas frentes, se complementam e são tão importantes para sua decisão?  

3 Plataformas para comparar o custo de vida entre cidades 

Para ajudá-lo na tomada de decisão, existem diversas plataformas colaborativas que comparam o custo de vida em diferentes cidade e países do mundo. As informações usadas são fornecidas por pessoas que vivenciam a realidade local.  

Lembre-se que o conceito é de colaboração e você é convidado a participar fornecendo informações da sua região. Além de ajudar a atualizar o banco de dados, você tem a oportunidade de entender melhor o que consta na cesta de bens e serviços da plataforma e pode construir um olhar ainda mais crítico e apurado na hora de montar o seu orçamento. 

Confira essas três indicações! 

Custo de vida 

Este é um site nacional que traz os custos de cada região apresentados a partir de categorias, como: “Bar e Restaurante”, “Supermercado”, “Transporte”, “Utilidades” e “Moradia”. O índice apresentado é gerado a partir de uma média das colaborações feitas. Quanto mais colaboração mais assertivo se torna o índice. 

Expatistan 

Esta plataforma possibilita comparações entre cidades e países de todo o mundo. É bem indicada para quem tem a intenção de mudar de país ou profissionais que estão sendo expatriados (transferidos pela empresa em que trabalham para atuar em outro país).  

Quem tem filhos conta com uma busca de escolas internacionais. Existe também uma calculadora que converte o seu salário, relacionando-o ao custo de vida do destino escolhido, mas este serviço não é gratuito.  

Numbeo 

Nesta plataforma todos os índices são comparados com base nos custos de Nova York. Na página inicial você verá uma tabela onde os valores de Nova York são referência e considerados com o valor 100. Quando uma cidade é ranqueada com 115 por exemplo, significa 15 pontos mais caro comparado aos valores de Nova York.  

A Numbeo traz outros rankings muito interessantes como de qualidade de vida, criminalidade e poluição. 

Agora que você conhece um pouco mais sobre custo de vida, continue investindo na sua educação financeira e continue a sonhar. Afinal, quem não faz planos para avançar? Vamos em frente!

Seguimos com você, focados em  incentivar seus sonhos e ajudá-lo  a realizar seus objetivos de vida.  

Você pode se interessar por esses outros artigos:

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário