Fundo de previdência privada: confira as dúvidas mais comuns!

Por Diana Dantas

Por algum tempo, o assunto Previdência Privada sempre foi associado aos idosos. No entanto, a verdade é que esse é um excelente investimento para sonhos de longo prazo, inclusive para os mais jovens.

Assim, não importa qual é a sua idade, o fundo de Previdência Privada é uma ótima maneira de investir o seu dinheiro. Inclusive, existem fundos com ótimos rendimentos para que você escolha qual é o mais ideal para a sua realidade.

Quer aproveitar melhor a oportunidade, diversificar os seus rendimentos e aplicar o seu dinheiro em algo que está rendendo mais do que a poupança? No artigo abaixo, vamos te explicar algumas maneiras não só para fazer o seu dinheiro render mais, mas também, para ter maior controle financeiro e ter mais qualidade de vida no futuro. Confira!

O que é um fundo de Previdência Privada?

Também conhecida como previdência complementar, a Previdência Privada nada mais é que um fundo de investimento. Ela é voltada para investimentos de longo prazo (acima de 10 anos) como a aposentadoria, a compra de uma casa, o pagamento da faculdade dos filhos que ainda estão pequenos, e assim por diante. Dessa forma, investir em um fundo de previdência pode ser útil para os mais diversos objetivos.

Como o fundo de previdência funciona?

A ideia aqui é bem simples. Você investe na Previdência Privada com aportes anuais e pagamentos mensais, porém, é necessário um valor inicial que é determinado pela seguradora ou banco. Além disso, o valor que será pago mensalmente é fixado no contrato, mas é possível acrescentar outras quantias, caso achar necessário.

Se você contratar um fundo de previdência privada com um banco, por exemplo, a ideia é de que ele faça o pagamento dos juros do valor que você aplica. Assim, com o passar dos anos, haverá um rendimento de juros sobre juros e, ao final, você terá um bom montante com o qual poderá contar.

O fundo de Previdência Privada possui um gestor e, por isso, é paga uma taxa de administração. Esse gestor é pago para investir o seu dinheiro em fundos rentáveis. Trata-se, então, de um especialista no assunto que escolherá os melhores fundos de investimento e retornará o seu investimento para a conta de Previdência Privada, com o montante atualizado.

Assim, o fundo de Previdência Privada possui dois momentos:

Acúmulo: que é o período em que você contribui mensalmente para a previdência.

Usufruto: momento em que você para de contribuir e aproveita os seus rendimentos.

A fase de acumulação depende de 2 fatores: os aportes ao longo do tempo e a rentabilidade. Portanto, analise bem a taxa de rendimento da sua previdência antes de contratar uma.

Quais os tipos de planos de Previdência Privada?

O fundo de previdência privada é ideal para a realização de sonhos, já que é um investimento de longo prazo. 

Agora que você já sabe o que é e como funciona o fundo de previdência privada, vamos ver quais os tipos de plano que existem.

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

Pode ser bem interessante para quem faz a declaração do IR na forma completa, sendo possível abater até 12% de tudo o que você recebeu no ano anterior. Dessa forma, o recolhimento do IR será menor.

Porém, no momento de usufruto da previdência, o IR será calculado sobre o montante (dinheiro + rentabilidade) e não apenas sobre o investimento.

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

É ideal para quem faz a declaração do IR simplificada e, no momento do usufruto, o imposto só irá incidir sobre a rentabilidade e não sobre o montante. Porém, não há a possibilidade no abatimento do IR.

Quais as taxas cobradas?

Há duas taxas que você precisa pagar para manter o seu fundo de Previdência Privada, afinal de contas, quem cuida do seu fundo não trabalha de graça não é mesmo? Vejamos quais são elas.

Taxa de Administração

É uma taxa que é paga para a empresa que mantém o seu fundo de Previdência Privada, como a Icatu, por exemplo.

É importante saber que não há uma data fixa de pagamento dessa taxa e, assim, o fundo pode enviar o boleto a qualquer momento. Esse percentual incide sobre todo o valor do aplicado.  Além disso, quando você analisa a rentabilidade do seu fundo de Previdência Privada, a taxa de administração já está descontada.

Taxa de Carregamento

Essa taxa é cobrada em cima de cada aporte feito, ou seja, cada pagamento mensal. Por exemplo, digamos que você invista R$ 1.000 por mês e a taxa seja de 5%. Isso quer dizer que R$ 50 fica no banco e R$ 950 vai para o seu fundo de previdência privada.

O Fundo de Previdência Privada é para qual tipo de investidor?

Antes de investir em um fundo como esse, você precisa identificar que tipo de investidor você é. Vejamos quais são os 3 tipos básicos:

  • Conservador: é aquele que gosta de investir e saber quanto vai ganhar ao final. Além disso, não quer correr riscos;
  • Moderado: é o investidor que coloca o dinheiro em fundos de renda fixa, por exemplo, mas também gosta de se arriscar um pouco mais e investe em Fundos Imobiliários;
  • Agressivo: costuma investir em ações e tem apetite para arriscar um pouco mais, sabendo que mais risco pode significar mais ganhos futuros.

Se você tem o perfil conservador ou moderado, então o fundo de Previdência Privada é perfeito para você. Quando você investe nele, já tem uma ideia de quanto vai receber no futuro. Lembre-se, no entanto, que o fundo atualiza o montante de acordo com a inflação para que, lá no futuro, você não perca poder de compra.

E então, gostou de aprender mais sobre fundo de previdência privada e quer investir? Primeiro, veja quais fatores analisar antes de assinar um plano!

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário