Qual o rendimento da previdência privada? | Blog Icatu Seguros

Qual o rendimento da previdência privada?

Por Paula Lopes

Todo mundo que investe está em busca de rendimentos, entendendo a dimensão dos riscos de cada aplicação. Esta lógica não é diferente para quem está avaliando uma previdência privada. Mas como saber se este é o tipo de investimento para você? 

A primeira coisa é ter clareza que o rendimento da previdência privada é uma equação. Além dos rendimentos do fundo em si, outros coeficientes como as taxas e a tabela de tributação, por exemplo, influenciam no resultado real.  

Neste conteúdo iremos explicar como funciona o rendimento da previdência privada e se esse investimento é mesmo adequado para você. Acompanhe!. 

O que é previdência privada?   

Também conhecida como previdência complementar, a previdência privada é uma aplicação financeira. Nela você tem a liberdade de decidir o valor, a periodicidade e a quantidade de anos que deseja contribuir.  

Sua tranquilidade para sustentar o padrão de vida desejado no futuro será proporcional aos aportes realizados ao longo dos anos. Quanto maior o investimento, maior o retorno

Lembre-se que o rendimento da previdência privada é de um investimento de longo prazo, ganhando força através dos juros compostos. 

Qual a diferença entre previdência privada e previdência social? 

A previdência privada não tem nenhuma ligação com a previdência social (INSS) e uma série de características marcam as diferenças entre elas.  Vamos apontar aqui as mais relevantes que não podem passar despercebidas na sua avaliação.  

Previdência Social 

A previdência social é um seguro social para garantir subsistência ao trabalhador em diversos casos, sendo a aposentadoria um deles. Essa assistência também se estende a afastamento por gravidez, acidentes e doenças. 

O sistema é gerido pelo Ministério da Previdência Social e funciona por um regime conhecido como repartição simples, onde a contribuição dos atuais usuários, formam a renda dos que estão aposentados. O modelo sofreu recentemente uma reforma e outras devem ocorrer ao longo dos anos. 

Apenas o trabalhador com carteira assinada é inscrito automaticamente na Previdência Social, e os aportes são debitados diretamente em seu salário de forma compulsória. 

Quem é autônomo ou não tem renda própria, como estudantes ou donas de casa, também podem participar e contribuir por meio de uma guia de pagamento. O interessado deve se informar para entender como sua situação pode ser enquadrada e cuidar para que o processo aconteça corretamente.  

Um ponto de atenção na previdência social é que o valor deste benefício é limitado. O teto gira em torno de R$ 6 mil. Mesmo sendo sua contribuição maior que este valor, o retorno não poderá ser superior, ao contrário do rendimento da previdência privada

Previdência Privada 

Para entender o rendimento da previdência privada, é necessário entender como ela funciona e quais as possibilidades para o investidor. Entenda mais: . 

  • Como dito acima, o investidor pode definir o valor e a periodicidade que deseja investir. A vantagem é que, caso precise suspender os aportes, pode fazê-lo sem perda no que acumulou. 
  • A previdência privada oferece fundos para diferentes perfis de investidor. Há opções conservadoras, mas existem muitos fundos para perfis moderados e arrojados.  
  • A regulamentação do setor permite investir até 70% do capital em ações ou ativos de renda variável – diversificação que se tornou um atrativo importante para o atual cenário de juros baixos do país. 
  • O investidor pode fazer a portabilidade de sua previdência migrando para outro fundo ou mesmo para outra instituição sem custos em caso de qualquer insatisfação ou ajuste no planejamento. 
  • O valor sacado no final do período contratado não precisa, obrigatoriamente, ser usado para aposentadoria. O valor pode ser usado para quitar uma casa, fazer uma viagem, investir na educação dos filhos ou netos. 
  • O saque do valor pode ser feito a qualquer momento, apesar de não ser recomendado o resgate no curto prazo.  Você vai entender mais sobre isso no próximo item onde vamos abordar as tabelas de tributação e os planos de previdência possíveis. 

Além do rendimento da previdência privada e desses fatores que marcam a flexibilidade e o traço de liberdade que oferece este investimento, a previdência privada também é isenta do imposto semestral presente nos outros fundos abertos. Esta é apenas a primeira, dentre outras vantagens fiscais. 

Afinal, qual o rendimento da previdência privada?

O rendimento da previdência privada possui variantes. Entenda!

Quando falamos sobre o rendimento da  previdência privada, é importante entender que esse valor varia conforme a instituição administradora e a volatilidade do mercado. É preciso pesquisar, comparar e fazer algumas simulações, além de observar o resultado histórico do fundo.  

Mas como falamos no início, a rentabilidade da previdência é uma equação e, neste item, vamos explicar dois outros coeficientes essenciais. 

Ao escolher um plano de previdência você deverá decidir por um regime de tributação. Existem duas possibilidades

Tabela progressiva 

Este regime de tributação segue a mesma tabela que incide sobre salários, aluguéis e outras rendas tributáveis. Os resgates sofrem incidência de uma alíquota de 15% na fonte e no IR de Ajuste Anual os valores são conciliados conforme a tabela progressiva abaixo. 

Essa conciliação é feita sobre a soma de toda sua renda tributável. Quanto maior o recebimento, maior a tributação. 

Salário Desconto Parcela a deduzir 
Até R$ 1.903,98 0% R$ 0 
De R$ 1.903,99 a R$ 2.826,65 7,5% R$ 142,80 
De R$ 2.826,66 a R$ 3.751,05 15% R$ 354,8 
De R$ 3.751,06 a R$ 4.664,68 22,5% R$ 636,13 
Acima de R$ 4.664,68 27,5% R$ 869,36 

 Tabela regressiva 

Este regime de tributação estimula o investimento a longo prazo, reduzindo o imposto quanto maior o tempo do investimento. O maior atrativo está para a alíquota cobrada acima de 10 anos (10%). 

Veja como fica a relação entre o tempo de investimento e a alíquota de imposto cobrada: 

– até 2 anos — 35% 

– de 2 a 4 anos — 30% 

– de 4 a 6 anos — 25% 

– de 6 a 8 anos — 20% 

– de 8 a 10 anos — 15% 

– acima de 10 anos — 10% 

Repare como o planejamento é importante na escolha do regime tributário de forma a evitar que a rentabilidade da previdência seja corroída pelo imposto de renda. 

Agora vamos conhecer mais um coeficiente essencial nessa equação: os planos de previdência

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) 

O PGBL é indicado para quem faz declaração de imposto de renda completa, podendo o investidor deduzir os investimentos da previdência, num limite de até 12% de sua renda bruta anual. É importante sinalizar que nesta modalidade a alíquota de IR incide sobre todo o valor resgatado (acumulado + rentabilidade). 

Plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) 

O VGBL é indicado para quem é isento ou faz a declaração simplificada do IR. Nesta modalidade não é permitido dedução do Imposto de Renda, mas o desconto no resgate incide somente sobre o valor dos rendimentos, nada sobre o acumulado. 

Para se conseguir a melhor rentabilidade de uma previdência privada é preciso analisar esses fatores e equalizar o melhor cenário, gerando, assim, o melhor resultado. 

Além de conhecer as vantagens fiscais de cada plano de previdência, existe um outro coeficiente que não pode ser deixado de lado: as taxas. 

Quais as taxas do plano de previdência privada? 

Quando falamos de itens que trazem impactos no rendimento da previdência privada, as taxas sempre aparecem entre elas.

• Taxa de administração: como qualquer outro fundo de investimento, a previdência privada conta com a gestão de um profissional especializado em aplicações financeiras, comandando os investimentos e garantindo a rentabilidade do investimento. Esta taxa remunera o gestor do fundo e seu valor é cobrado por ano.  

 Taxa de carregamento: Apesar de praticamente extinta no mercado de previdência privada, esta taxa é cobrada a cada aporte realizado, visando cobrir custos administrativos.  

As duas taxas citadas acima são as mais comuns. Porém, antes de contratar uma previdência confira também se existe alguma outra taxa como a taxa de saída (cobrada quando há resgates ou até mesmo portabilidade) e a taxa de performance, cobrada quando o fundo entregar resultados superiores ao prometido. 

Quer encontrar o melhor rendimento da previdência privada? Pesquise a fundo e questione sobre os resultados prometidos, além das taxas e os impostos. Busque uma alocação inteligente de recursos, afinal de contas, estamos tratando do seu futuro. 

Caso queira entender melhor sobre a Previdência Privada Icatu, acesse esse conteúdo e continue lendo!

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário