Como calcular o valor do Seguro de Vida?

Por Diana Dantas

Quanto custa um seguro de vida para o meu perfil? Essa é uma pergunta muito feita entre as pessoas que desejam proteção financeira também em vida. A resposta é que depende e abordaremos os motivos para isso no artigo abaixo.

Adquirir um seguro de vida vem se tornando uma prática cada vez mais comum entre os brasileiros. Dados da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) confirmam esse cenário de mudança

Segundo o presidente da entidade, Márcio Coriolano, em entrevista ao Broadcast, serviço em tempo real do grupo O Estado de S. Paulo, o crescimento ocorreu em decorrência de uma “postura mais preventiva e a preocupação das pessoas em garantir uma renda no futuro para si ou seus familiares” – o que implica diretamente no interesse das pessoas pelo valor do seguro de vida.

Em 2020, por exemplo, o setor de seguro de vida foi impactado tanto pela pandemia quanto pela taxa de juros baixa. Essa realidade afetou a rentabilidade do setor, visto que a mentalidade dos brasileiros em relação ao valor de seguro de vida também foi impactada. Mesmo assim, o desempenho do mercado de seguros, segundo a CNseg, foi positivo, já que houve um crescimento do setor em 2,8% até setembro de 2020 mesmo com o PIB negativo.

Embora a consciência dos brasileiros tenha melhorado em relação ao assunto, há ainda muita dúvida ao contratar um seguro, entre elas: o valor do seguro de vida. A quantia que seria cobrado na parcela é o quesito que mais causa confusão no momento de calcular o seguro de vida. 

Mas, por que essa dúvida é tão frequente? No geral, não existem planos prontos, com preços já definidos. Isto é, não basta fazer uma simples busca no Google para saber qual empresa oferece as melhores condições. Antes, a operadora precisa de várias informações a respeito do cliente a fim de fechar o pagamento mensal adequado, de acordo com cada realidade.

Em vista disso, esse conteúdo tem como objetivo abordar os principais aspectos levados em consideração no momento de calcular o valor do seguro de vida. Acompanhe a leitura e tire suas dúvidas!

Qual a média de valor do seguro de vida?

Como já evidenciado, o valor do seguro de vida depende das coberturas contratadas e também da seguradora que está disponibilizando o produto. 

É natural que o seu planejamento mude de acordo com as diferentes fases da vida. Os anos passam, as necessidades mudam e conforme as pessoas vão amadurecendo, as prioridades passam a se tornar uma só: segurança financeira para o futuro. 

Um seguro de vida que se molde às suas diferentes necessidades pode ser um grande aliado para enfrentar as incertezas diárias. Por isso, é fundamental entender que um seguro de vida pode sim ser usado em vida. Caso queira saber mais sobre o valor do seguro de vida feito para você, acesse aqui.

Mas, como é calculado o valor do seguro de vida?

O valor do seguro de vida aumenta conforme as coberturas estipuladas na apólice. Quanto mais serviços contratados, maior o valor do seguro. Atualmente, existem diversos tipos, como:

  •  Assistência Funeral;
  • Doenças Graves;
  • Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente (IPA) – que pode se estender a uma parte específica do corpo, como mão e olhos. 
  • DIT (Diária por Incapacidade Temporária);
  • Morte por Acidente ou Acidental;
  • Etc.

Para estipular o valor mensal do seu seguro de vida, as seguradoras avaliam os seguintes aspectos listados a seguir.

Renda mensal

O primeiro item é sobre a renda mensal do contratante. 

Esta informação é fundamental pois permite que as seguradoras ofereçam um seguro de vida que permita ao segurado, e sua família, a manutenção do padrão de vida mesmo em caso de um evento não planejado.

A renda mensal é um somatório de todas as fontes de renda que o segurado possui. Independente se é obtida através de um emprego de carteira assinada ou de forma autônoma. 

Idade

O valor do seguro de vida aumenta de acordo com a idade do cliente. As empresas consideram o risco de morte de uma pessoa acima dos 60 anos maior do que o de uma de 30, mesmo sendo possível ocorrer uma fatalidade com a mais jovem a qualquer momento.

Histórico médico

As empresas levam também em consideração a saúde do paciente no momento de calcular o valor do seguro de vida.

Antes de firmarem o contrato, o segurado precisa relatar as doenças pré-existentes, os históricos médico e familiar, além de contar se pratica exercícios, fuma, bebe ou usa drogas. Sendo um momento tão importante no contrato de seguro de vida, o histórico médico deve ser preenchido através da Declaração Pessoal de Saúde ou DPS.

Profissões e lazer

Algumas profissões oferecem maior risco ao profissional que as executa. Essa informação permitirá que a seguradora ofereça o produto ideal para o momento de vida do segurado.

A forma de lazer também é levada em conta na hora de calcular o valor do seguro de vida, principalmente, nos casos de práticas de esportes  radicais. Uma dica importante no momento de contratar um plano é responder o questionário da forma mais clara possível. Caso alguma informação seja omitida ou não informada, pode gerar problemas na hora do resgate.

Fique agora com algumas informações para facilitar na hora de calcular o valor do seguro de vida ideal para suprir as necessidades de sua família.

Qual é o valor do seguro de vida ideal para sustentar a minha família?

Aprenda a calcular o valor do seguro de vida para que se o pior acontecer. a apólice supra as necessidades da sua família.

Além de não saber calcular um o valor do seguro de vida, as pessoas, em geral, também não fazem ideia de qual o valor da apólice atenderia, de fato, a sua família – o que é bastante comum tendo em vista as diversas possibilidades do mercado.

Para descobrir o valor do seguro de vida que seria ideal para manter sua família protegida, é necessário realizar um levantamento a respeito do seu custo de vida.. Separe um tempo e levante algumas informações:

Avalie a renda e as despesas

Discrimine as despesas fixas atuais de todos os moradores da residência: escola das crianças, carro, contas, planos de saúde, dívidas, financiamentos de imóveis ou do carro, etc.

Além disso, relacione o valor da média dos gastos variáveis, como lazer, alimentação, entre outros. Depois do levantamento, some o total de tudo e pense no número de anos que gostaria de deixar a família bem assegurada.

Exemplo: Uma família formada por um casal com um filho. O pai, o contratante do seguro, tem um salário de R$ 8 mil e a mãe, de R$ 4 mil. O filho já está na faculdade, mas só terá condições de contribuir com os gastos da casa em cinco anos.

  • Renda total da família: R$ 12 mil
  • O total das despesas familiares é de R$ 8 mil. O pai arca com R$ 6 mil e a mãe com R$ 2 mil.

O cálculo do valor do seguro de vida deve levar em conta o tempo necessário para o filho completar os seus estudos e começar a trabalhar. Ou seja, cinco anos são o suficiente para que a família tenha a segurança financeira almejada. 

Avalie o patrimônio

Liste todos os bens (investimentos, casa, carro, objetos de valor) e peça a um advogado ou um contador para fazer um cálculo médio dos gastos de um inventário, incluindo o Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), diferente em cada estado, as taxas de cartório e os honorários do próprio advogado, que, normalmente, são de 6% dos bens.

A maioria das apólices costumam oferecer assistência funeral. Portanto, o custo não precisa ser levado em consideração.

Exemplo: a família citada acima tem o apartamento próprio em que vive, avaliado em R$ 300 mil, mais R$ 50 mil em investimentos. Acrescente os valores do ITCMD e mais os custos advocatícios, que seriam de R$ 17,5 mil (se considerar os 5% sobre o total dos bens, cobrados no RJ) e R$ 21 mil, respectivamente.

Conta final:

Some:

Despesas (R$ 8 mil x 12 meses x 5 anos) = R$ 480 mil

ITCMD = R$ 17,5 mil

Advogados = R$ 21 mil

Total = R$ 518,5 mil

 Desse montante, subtraia:

Renda da mãe (R$ 4 mil x 12 meses x 5 anos) = R$ 240 mil

Investimentos = R$ 50 mil

Total = R$ 228,5 mil. 

Esse valor do seguro de vida é o mínimo necessário para o sustento da família pelos próximos cinco anos. Portanto, é preciso pagar uma apólice que, ao menos, cubra essa quantia.

Como é possível perceber, contratar um seguro de vida é muito importante para a sua segurança financeira e a de sua família. Por isso, vale a pena dedicar um tempo para entender mais sobre o assunto e analisar a melhor solução de proteção para você.E nunca esqueça: é fundamental ler com muita atenção o contrato e todas as coberturas inclusas no seu plano e se perguntar se elas bastam para a manutenção do seu padrão de vida e de sua família.

Em caso de outras dúvidas sobre o valor do seguro de vida, consulte sempre um corretor ou um especialista. Além disso, leia também sobre o que fazer depois de saber o valor do seguro de vida e contratá-lo!

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário