Coronavírus: como se proteger com uma pessoa doente em casa?

Por Alessandra de Paula

O Brasil e o mundo estão passando por uma grande crise, provocada pelo novo coronavírus (COVID-19), onde milhares de pessoas estão infectadas em vários países. Mas, o que é exatamente esse vírus e como se proteger com uma pessoa doente em casa? Confira, nesse artigo, esclarecimentos e orientações para enfrentar esse momento com a maior tranquilidade e segurança possível.

O que é o novo coronavírus?

O coronavírus faz parte de uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Os primeiros coronavírus humanos foram isolados inicialmente em 1937. Porém, foi só em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, por conta de seu perfil no microscópio, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com outros coronavírus comuns ao longo da vida, sendo que as crianças pequenas estão mais propensas a se contaminarem.

O que significa COVID-19?

Para proteger-se nesta crise a maior arma é a informação, ainda mais se você tem uma pessoa doente em casa.

O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China. Ele provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

De acordo com os especialistas, é importante que a doença tenha um nome oficial, impedindo que outros nomes imprecisos, ou estigmatizantes, sejam usados. O nome escolhido busca não se referir a uma localização geográfica, um animal, um indivíduo, ou grupo de pessoas.

O nome COVID-19 é a união de CO, de corona; VI, de vírus; e D, de disease, palavra em inglês que significa doença. Já o 19 indica o ano em que surgiu: 2019.

Sintomas da COVID-19

Nos casos mais leves, os sintomas do novo coronavírus incluem coriza, tosse seca, dor de garganta, cansaço e, possivelmente, dor de cabeça e febre, que pode durar alguns dias.

Já nos casos mais graves, há falta de ar, sendo um indicativo importante de ida imediata ao hospital. A qualquer sinal mais leve da doença, o recomendado é que se isole por 14 dias para não contaminar outras pessoas. A utilização de máscaras, nesse momento, é de extrema importância.

Para aqueles com sistema imunológico mais enfraquecido, como os idosos, há chance de o vírus causar doenças mais graves do trato respiratório, como pneumonia. Outras pessoas também incluem o grupo de risco, como os cardíacos, hipertensos e diabéticos.

Gripe comum x COVID-19

A COVID-19 causa sintomas semelhantes aos de outras síndromes, como resfriado e gripe. Por isso, muitas vezes, as pessoas podem se confundir, deixando de tomar os cuidados necessários para combater a COVID-19.

Com relação à febre, ela é comum em casos de COVID-19 e de gripe, mas rara em resfriados. Já os espirros são comuns em resfriados, mas raros tanto em gripes, quanto na COVID-19. A dor de cabeça é rara em resfriados, comum em gripes e pode surgir em infecções pelo novo coronavírus. A falta de ar é rara em gripes e resfriados, mas pode acontecer em casos de COVID-19. Já a tosse é comum tanto na COVID-19, quanto em gripes.

Principais medidas preventivas contra a doença

É hora de redobrar os cuidados com a saúde para não se infectar e além de tornar-se uma pessoa doente disseminar essa nova doença.

Ainda não existe vacina para proteger você e sua família do vírus, por isso, alguns cuidados são essenciais. Acompanhe o artigo para saber quais são eles!

O contágio ocorre, principalmente, pela via respiratória, através de gotículas expelidas pela pessoa contaminada. Outra maneira é pelo contato, uma vez que as gotículas podem se depositar sobre diferentes superfícies, onde o vírus permanece viável por um longo período.

O tempo de incubação do vírus em humanos varia de um a 14 dias, o que também facilita a sua propagação, já que muitas pessoas podem ficar assintomáticas neste período.

Para evitar o contágio, o Ministério da Saúde dá as seguintes orientações:

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão (lavagem de pelo menos 20 segundos), ou então higienize com álcool gel 70%;
  • Ao tossir, ou espirrar, cubra o nariz e a boca com um lenço (e o descarte logo em seguida), ou utilize o braço, mas nunca as mãos;
  • Evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.;
  • Mantenha uma distância mínima de cerca de dois metros de qualquer pessoa doente tossindo, ou espirrando;
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote uma onda amigável sem contato físico, mas sempre com sorriso no rosto;
  • Higienize com frequência o celular e brinquedos das crianças;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;
  • Evite aglomerações e mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
  • Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente, idosos e doentes crônicos e fique em casa até melhorar;
  • Durma bem, tenha uma alimentação saudável e faça atividade física.

Essas são as principais dicas para evitar ficar doente, mas se você já tem uma pessoa doente em casa, vamos falar também sobre alguns cuidados para tomar nessa situação. Confira:

Cuidados para quem tem uma pessoa doente em casa

Para as pessoas infectadas, mas com sintomas leves, recomenda-se ficar em isolamento em casa. Quem tem contato com a pessoa doente deve tomar uma série de cuidados, para que não se contamine.

A pessoa infectada com o COVID-19 deve ficar em um cômodo exclusivo para ela . Esse espaço deve ser ventilado, por isso, é importante que pelo menos uma janela seja mantida aberta. Já a porta, deve permanecer fechada.

O ideal é que a pessoa doente tenha um banheiro só para ela. No entanto, se isso não for possível, toda vez que ela sair do quarto, deve usar máscara e higienizar as mãos com água e sabão, ou álcool gel antes de tocar os objetos.

Atenção redobrada com o lixo e as roupas da pessoa doente

No cômodo onde a pessoa doente está, deve ser providenciado um recipiente para descarte de resíduos, máscaras e luvas utilizados por ela, ou por quem cuida dela. O lixo deve ser isolado em um saco plástico e lacrado. A pessoa responsável por recolher os resíduos precisa usar luvas e descartá-las após jogar o lixo fora. E é muito importante sempre lavar as mãos.

No que diz respeito às roupas da pessoa doente, as peças devem ficar em um cesto separado, e na hora de botar na máquina de lavar, sempre usar luvas. Se possível, não agitar a roupa suja. Isso minimizará a possibilidade de dispersar o vírus pelo ar.

Os especialistas ainda divergem se, na hora da lavagem, a roupa dos infectados pode ficar junto com as peças das pessoas saudáveis. Para não haver risco, é melhor lavar as roupas da pessoa doente separadamente.

Limpeza é fundamental para matar o vírus

Quando se tem uma pessoa doente em casa é essencial manter uma limpeza rigorosa.

O cômodo e o banheiro usados pela pessoa doente devem ser limpos diariamente. O responsável pela limpeza precisa usar luvas e máscara, desinfetando torneiras, maçanetas, teclados, mesas, cadeiras, resumindo, todos os pontos tocados pelo infectado.

Sobre a louça, é importante que a pessoa doente tenha objetos exclusivos, ou seja, que não sejam compartilhados com o restante da família. Na hora de lavar a louça, não se esqueça de usar luvas e usar uma esponja à parte.

Produtos para higienizar os ambientes comuns

Tenha sempre à mão produtos de limpeza potentes para limpar o ambiente e combater o vírus, tais como:

  • Água sanitária;
  • Desinfetantes em geral;
  • Limpadores multiuso com cloro;
  • Limpadores multiuso com álcool;
  • Álcool de limpeza (líquido);
  • Detergente.

Quanto tempo o vírus sobrevive nas superfícies?

Com a COVID-19 se espalhando, faz sentido que as pessoas tenham receio de tocar em superfícies e objetos contaminados. Afinal, uma única tosse de uma pessoa doente pode produzir até 3 mil gotículas.

O novo coronavírus pode se manter ativo por até três dias em superfícies metálicas e plásticas, 24 horas em papelão, quatro horas em cobre e de 40 minutos e duas horas e meia no ar, ou em poeiras.

Por isso, é tão importante manter a limpeza dos ambientes, uma medida que pode salvar vidas.

Proteja-se e mantenha a calma

Nesse momento de instabilidade, é normal sentir medo de ficar doente, ou de que alguma pessoa querida seja contaminada pelo vírus. No entanto, é fundamental ficar atento e seguir as recomendações do Ministério da Saúde, procurando manter a tranquilidade e evitando o pânico.

Durante o isolamento social, procure ter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos com moderação e ficar em contato com seus parentes e amigos para que se sinta sempre acolhido. Juntos, podemos vencer a COVID-19!

Acesse o site do Ministério da Saúde para se atualizar com as últimas notícias sobre o combate ao novo coronavírus.

Agora que você já sabe como se proteger do novo coronavírus, mesmo com uma pessoa doente em casa, leia esse artigo sobre os cuidados com a saúde para ter longevidade.

Publicado por Alessandra de Paula

Alessandra de Paula tem mais de 15 anos de experiência em produção de conteúdo e pesquisa jornalística. Integrou a equipe de Comunicação do Ministério da Cultura, e trabalhou em grandes empresas do Rio de Janeiro, como O Globo, Extra, Jornal do Brasil, Jornal do Comercio, CDN, In Press e SRCOM, realizando diversas coberturas, incluindo Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016, e Réveillon de Copacabana. Também produziu conteúdo para sites da Rede Globo.

Deixe seu comentário