Distanciamento social: o que é e qual a sua importância?

Por Paula Lopes

O novo coronavírus (COVID-19) é uma doença ainda pouco conhecida e pelo que se pode constatar, altamente contagiosa, que impôs,  ao mundo, desafios de uma nova realidade. Com toda esse impacto direto na vida de todos, ouvimos muito sobre alguns termos específicos, como por exemplo, distanciamento social. 

O distanciamento social faz parte desse contexto e é uma das medidas de proteção adotadas para conter a disseminação da doença e forçar o achatamento da curva de transmissão. 

Mas, o que é distanciamento social? 

O distanciamento social consiste em medidas para restringir o convívio social e o fluxo de pessoas circulando. Ele tem a finalidade de evitar maiores níveis de propagação de uma determinada doença.  

No caso de  infecções  respiratórias, onde a transmissão acontece por meio de gotículas de saliva, espirros, acessos de tosse, contato próximo e superfícies contaminadas – o distanciamento social tem o objetivo de  evitar aglomerações para, então,  dificultar  o contágio em massa.  

O pedido para que a população fique em casa, no Brasil, veio seguido de algumas medidas restritivas, entre elas: 

  •  O fechamento do comércio, liberando o funcionamento apenas de serviços essenciais, como por exemplo: saúde, supermercados e abastecimento, entre outros;  
     
  •  O cancelamento e/ou adiamento de eventos como jogos esportivos, festivais, shows e palestras;
  •  A paralisação das atividades escolares presenciais;
     
  •  A recomendação do sistema de trabalho home office. 

A maioria das medidas preventivas estão sendo decretadas por cada um dos estados brasileiros, o que acaba resultando em panoramas diferentes, mais segmentados pelas regiões do país.

Essas segmentações dividem-se, basicamente, entre: os estados onde a situação não está tão crítica ou está controlada, contando com medidas mais flexíveis, e os outros, evidenciando números preocupantes de casos ou óbitos, onde precisam-se tomar medidas mais severas.

Agora que compreendemos o que é o distanciamento social e para que ele serve, vamos falar um pouco sobre a diferença entre ele, a quarentena e o isolamento. Acompanhe!

Distanciamento social, quarentena e isolamento são a mesma coisa?

 É comum que as pessoas confundam distanciamento social, quarentena e isolamento, mas eles não são a mesma coisa.

Acabamos sendo impactados, de uma hora para outra, com diversas informações e alguns termos específicos de situações como estas. Por isso, podem surgir inúmeras dúvidas sobre o que está acontecendo. Mas, estamos aqui para saná-las.

Para começar, falamos, acima, sobre o que é o distanciamento social, que pode acabar sendo confundido com outros termos, como: quarentena e isolamento. Mas eles não são a mesma coisa. Veja abaixo a definição deles:

Quarentena 

Depois que uma pessoa é exposta a uma doença contagiosa, ela precisa restringir suas atividades e isolar-se para não espalhar, ainda mais, a doença, já que não tem certeza se foi ou não contaminada. 

Isolamento

O isolamento é uma medida para separar os doentes (que estão apresentando sintomas, os casos suspeitos e os já confirmados) das pessoas que não estão doentes, com o objetivo de conter a propagação do vírus. Esse isolamento pode ser domiciliar ou em ambiente hospitalar, dependendo do estado clínico da pessoa e tem o prazo máximo de 14 dias.

Se as medidas de distanciamento social, quarentena e isolamento não estiverem surtindo efeitos significativos ou forem insuficientes, pode-se recorrer ao lockdown, que significa o bloqueio total de uma comunidade, cidade ou região, com a finalidade de restringir a interação entre os habitantes.

Agora que já aprendemos o significado de cada um desses termos, vamos ver informações sobre a doença. Veja abaixo:

Coronavírus: a nova doença   

Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que prestam apoio técnico ao Brasil e a outros países no combate ao COVID-19, a maioria das pessoas, com a doença, vão apresentar  sintomas leves, comuns a toda gripe ou serão assintomáticas, 

Esta situação traz à tona a importância das medidas de distanciamento social. Muitos contaminados nem mesmo saberão que são portadores do vírus e que podem estar disseminando a doença.  

Estimativas indicam que, a cada cinco dias, uma pessoa com o vírus infecta 2,5 outras. Assim, em um cenário sem nenhuma medida de distanciamento social, a contaminação é exponencial. 

Nesse contingente, uma em cada seis pessoas que contamina-se com a COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar necessitando de atendimento na UTI.  

Vale pontuar que adultos com mais de 60 anos e pessoas com asma, pressão alta, problemas cardíacos e diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver o quadro mais grave desta doença e por isso, são considerados do grupo de risco.  

Qual a importância do distanciamento social? 

O distanciamento social está entre as medidas mais eficientes adotadas para impedir a propagação de vírus, como o citado acima.  

Por essa razão, respeitar o distanciamento social é tão importante. Afinal de contas, estamos tratando aqui de uma pandemia, uma classificação que qualifica uma doença nova, na qual a população não tem imunidade, e que se alastra e passa a ser detectada em vários lugares do mundo ao mesmo tempo..  

Confira agora algumas medidas simples que podem fazer  diferença para desacelerar a transmissão: 

  • Mantenha distância de, no mínimo, 1,5m entre as pessoas;
  • Tenha pouco ou nenhum contato físico, como: apertos de mão, abraços e beijos;
  • Não frequente qualquer evento ou reunião onde você possa entrar em contato com um grande número de pessoas;
  • Se possível, postergar consultas eletivas à médicos;
  • Guarde a visita a amigos e familiares para um momento mais seguro, principalmente, preservando os idosos e pessoas que fazem parte do  grupo de risco. 

Como vimos, manter o distanciamento social é de extrema importância, nesse momento. Mas, sentimos na pele o quanto pode ser difícil ficar, por um período tão grande, só em casa. Por isso, acompanhe, abaixo, dicas do que fazer enquanto estiver em casa:

O que fazer enquanto estiver em casa? 

Certamente os impactos do distanciamento social na rotina das pessoas será bem diferente conforme a configuração e os integrantes da família. De qualquer forma, algumas dicas são valiosas para todos. Confira! 

  • Mantenha a casa limpa: A higiene é primordial para evitar a propagação do vírus e manter uma boa convivência. 
  • Faça cursos online: Aproveite, pois o tempo está a  seu favor e diversos  cursos online, muitos deles gratuitos, estão à disposição para o seu desenvolvimento. É o caso dos cursos que a Icatu, em parceria com a FGV, preparou para você. Acesse aqui!
     
  • Escute podcasts:  Essa é uma dica que cai bem para os que precisam otimizar o tempo. Enquanto você prepara o almoço, faz a limpeza da casa ou a organização de seu home office, dá para escolher entre uma diversidade de assuntos para ouvir e aprender.  

Sem dúvidas, estamos vivendo uma situação atípica e que merece toda nossa atenção. Por isso, é fundamental buscar informações seguras e fazer a sua parte.

Gostou de aprender sobre distanciamento social? Que tal ler também sobre como otimizar o seu trabalho em regime de home office

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário