Entenda o que é IPCA e como ele é calculado! | Blog Icatu

Entenda o que é IPCA e como ele é calculado!

Por Paula Lopes

O IPCA ou Índice de Preços ao Consumidor Amplo ocupa os principais noticiários do país com elevada frequência. O índice, atualizado mensalmente pelo IBGE, costuma vir acompanhado de informações sobre inflação e preço de produtos. Ainda assim, não se pode dizer que a sigla IPCA tenha caído nas graças do povo, que  muitas vezes não compreende o que ela representa, gerando alguns questionamentos, sendo “o que é IPCA?” um deles. 

Até poderíamos formular aqui algumas hipóteses para justificar a relativa falta de popularidade, mas a proposta é justamente oposta. Fato é que nosso poder de compra, só para citar um exemplo, pode ser diretamente deteriorado caso o salário não tenha um reajuste que se equipare à inflação. 

E qual é o índice oficial de inflação no Brasil? Ponto para quem respondeu IPCA. Mas, o que é IPCA? Acompanhe a resposta abaixo!  

O que é IPCA? 

Muita gente pensa em investir, porém, a falta de conhecimento das definições de investimentos e os fatores que influenciam no rendimento podem deixá-los com receio, ocasionando em dúvidas e questionamentos como o que é o IPCA.  

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é um índice que mede a variação dos preços de uma cesta de produtos e serviços consumidos pela população. Ele é considerado pelo Banco Central e pelo governo o índice oficial da inflação no Brasil.  

Esse índice é medido, mensalmente, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em pesquisa realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, domicílios e concessionárias de serviços públicos. Os preços usados são os cobrados ao consumidor para pagamento à vista. 

Como o IPCA é calculado? 

Não basta saber somente o que é IPCA, é essencial conhecer também como o IPCA é calculado. Para esses cálculos, são considerados nove grupos de produtos e serviços, entre eles: transportes; alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; e vestuário. Eles são subdivididos em mais de 400 subitens. 

Cada produto possui diferentes origens e pesos, que varia de acordo com a presença deles no consumo médio da população. Assim, itens de alimentação costumam ter um peso maior do que itens de tecnologia, por exemplo.

Veja abaixo as  proporções distintas de cada tipo de gasto, conforme seu peso no orçamento das famílias. 

Tipo de gasto Peso 
Transportes 20,6% 
Alimentação e bebidas 19,3% 
Habitação 15,6% 
Saúde e cuidados pessoais 13,5% 
Despesas pessoais 10,7% 
Comunicação 5,7% 
Educação 6,1% 
Vestuário 4,6% 
Artigos de residência 3,8% 

 cálculo do IPCA considera famílias com renda mensal de a 40 salários mínimos. Esta faixa foi criada com o objetivo de garantir uma cobertura de 90% da população residente nas 16 áreas urbanas definidas para a medição do índice. Cada região também possui pesos diferentes, conforme a tabela abaixo:  

São Paulo 32,3% 
Belo Horizonte 9,7% 
Rio de Janeiro 9,4% 
Porto Alegre  8,6% 
Curitiba  8,1% 
Salvador 6% 
Goiânia 4,2% 
Brasília 4,06% 
Recife  3,9% 
Belém 3,9% 
Fortaleza 3,2% 
Vitória 1,9% 
São Luís 1,6% 
Campo Grande 1,6% 
Aracaju 1,0% 
Rio Branco 0,5% 

Para que é usado o IPCA? 

Agora que você já sabe o que é IPCA e como ele é calculado, está na hora de aprender para que esse índice é usado e qual a importância do IPCA.

Estamos tratando aqui de umas das taxas mais importantes, que funciona como um termômetro para nossa economia. Por isso, é tão importante entender o que é IPCA. 

Esse é o índice que o governo olha para avaliar se o custo de vida médio e o poder de compra das famílias se mantém dentro das expectativas. Também é ele a referência para as metas de inflação estipuladas e para a definição de diversos pontos da política econômica e monetária, como a taxa de juros Selic

Como o IPCA afeta a sua vida? 

É importante compreender também como o IPCA pode nos afetar , porque no dia a dia o aumento desse índice pode afetar as contas básicas, visto que comerciantes podem elevar seus preços com base na alta do IPCA. 

Há situações menos corriqueiras, porém, onde o IPCA pode pegar os mais distraídos de surpresa. Alguns contratos de aluguel propõem reajuste anual pela variação deste índice. Para os inquilinos mais avessos a esta etapa burocrática, deixar passar a cláusula de reajuste com as quatro letrinhas não é tão difícil assim. 

Outra frente onde o IPCA pode ter impacto é na rentabilidade de investimentos que remuneram com base nesse índice. Nós já vamos falar mais sobre isso.  

Qual a diferença entre IPCA e IPCA-E?

O IPCA é a medida da variação dos preços mais conhecida no Brasil, mas não é a única. Além dele, há outros índices que possuem o mesmo objetivo do IPCA, mas que utilizam uma metodologia de cálculo diferentes, como é o caso do IPCA-E, índice divulgado pelo IBGE a cada 3 meses como uma variação do IPCA tradicional.

A principal diferença entre esses dois índices é o período de cálculo analisado com base no IPCA-15, pois enquanto o IPCA-E é um índice trimestral, o IPCA é divulgado mensalmente.

*IPCA – 15 é é uma prévia do indicador oficial da Inflação no país, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e se refere ao consumo das famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos. 

O que significam as altas e baixas no IPCA?  

Agora que você sabe o que é IPCA, há uma situação não tão óbvia com relação ao comportamento deste que você precisa entender.  

Quando o valor do índice sobe de um mês para o outro temos aumento dos preços, ou seja, inflação. Na situação em que o valor do índice diminuiu (sempre olhando a relação de um mês para o seu subsequente), não há redução de preços, como a lógica mais imediata poderia concluir. 

O que este número menor nos diz é que os preços continuam subindo, porém com menos intensidade do que o mês anterior.   

A diminuição de preços ou deflação, só existe quando o IPCA for negativo. 

Gostou de aprender o que é IPCA, como ele é calculado? Leia também sobre Fundo de pensão!

 

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário

-->