Nome negativado: confira três passos para limpar seu nome

Por Alessandra de Paula

Ter o nome negativado pode afligir muitas pessoas que, porventura, estejam passando por algum tipo de dificuldade financeira, seja pela perda do emprego, ou por qualquer outro imprevisto que cause diminuição na renda. 

Aquele parcelamento, que antes era quitado todos os meses sem grandes problemas, passa a ser fonte de preocupação e possível “dor de cabeça” pelo risco de inadimplência. Entretanto, independente do motivo, saiba que essa não é uma situação rara de acontecer e caso o seu nome venha a ficar negativado por algum órgão de proteção ao crédito, o importante é manter a calma e buscar meios de resolver a situação da melhor maneira possível. 

Para se ter uma ideia, segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em 2019, 48% dos consumidores brasileiros passaram, em algum momento, pela situação de ficar com o “nome sujo”. Conforme o estudo (saiba mais aqui), que levou em consideração um período de 12 meses, essa faixa da população teve o CPF negativado devido, principalmente, a dívidas em atraso.  

Como desdobramento da pesquisa, o levantamento mostrou que do total de endividados que tiveram o nome “sujo”, 39% alegaram controlar mais os gastos depois da negativação e 34% destacaram pensar melhor antes de fazer as compras. Os números mostraram, ainda, que 21% deixaram de emprestar seus nomes a terceiros e 18% começaram a evitar consumir no cartão de crédito.  

O que significa estar com o nome negativado? 

Uma pessoa pode ter o seu nome negativado a partir do momento que deixa de pagar determinada dívida, ficando, assim, inadimplente. E isso pode acontecer caso ele tenha, ao menos, um compromisso vencido e não quitado, independentemente do tempo de atraso. Ou seja, caso a dívida não seja paga, isso é motivo suficiente para que a empresa credora solicite a inclusão do seu nome no cadastro dos órgãos de proteção ao crédito, como Serasa, SPC, SCPC e CCF. 

É importante lembrar que, por lei, as empresas são obrigadas a informar ao cliente sobre as dívidas pendentes, propondo, dessa maneira, acordos antes de iniciar o processo de negativação do seu CPF. As dívidas não honradas podem ser de diferentes naturezas, incluindo desde empréstimos financeiros e contas vencidas (como água, energia, telefone, etc.) ao não pagamento de carnês de lojas, cartão de crédito e, até mesmo, pensão alimentícia. Emitir cheque sem fundo também entra nessa lista.  

Como saber se o seu nome está sujo?

É possível descobrir se você está com o nome negativado acessando a base de dados de três empresas.

As principais bases de dados utilizadas atualmente pelas empresas (incluindo também os bancos) para verificar se o consumidor tem dívidas em atraso são três: 

  • Serasa, administrada pela Serasa Experian; 
  • Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), administrado pela Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL); e 
  • Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), administrado pela Boa Vista Serviços. 

Para conferir a situação do CPF, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) recomenda a consulta a esses três cadastros, ressaltando que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece que essa checagem seja gratuita.

No caso da Serasa, é possível fazer uma consulta gratuita em suas agências (confira aqui os endereços), ou pela internet, acessando https://www.serasa.com.br/consultar-meu-cpf/.  

Já o SPC Brasil não dispõe da consulta gratuita do CPF pela internet, apenas presencialmente. Para isso, vá a um dos seus balcões de atendimento com seu CPF e documento com foto (saiba onde encontrar). Sobre a pesquisa online, há um custo de R$9,90 cobrado no site da loja online do SPC Brasil

No caso do SCPC, para verificar o seu CPF, acesse o site Consumidor Positivo. Após, clique em “Consulta CPF”, primeiro item do menu principal da página. É possível, ainda, fazer a consulta nos postos de atendimento (veja os endereços disponíveis) com o seu CPF e documento com foto. 

É possível limpar seu nome 

A partir do momento que você identifica o seu CPF como negativado, existem algumas opções para regularizar a situação. Vamos a eles: 

Identifique as inadimplências 

A primeira ação a se fazer para limpar o nome é justamente identificar o tamanho da sua dívida. Consulte as bases de dados dos órgãos de proteção ao crédito, conforme indicado, e solicite um extrato detalhado para que possa se situar melhor no problema. 

Tente renegociar a dívida com o credor 

Entre em contato com a empresa e tente uma renegociação da dívida, incluindo alguma opção de parcelamento que possa caber no seu bolso. Muitas vezes, esse tipo de acordo já é o suficiente para “limpar” o nome após cinco dias úteis do pagamento da primeira parcela. O mesmo acontece para a quitação integral da dívida.   

O nome não fica sujo para sempre 

O prazo máximo que o consumidor pode ter o seu nome negativado é de cinco anos, que conta a partir do dia seguinte ao vencimento da dívida não honrada, mesmo que a negativação do seu nome tenha ocorrido posteriormente. 

Depois de cinco anos, a dívida prescreve e o nome do devedor deve ser retirado da lista de inadimplentes. Como é previsto em lei, caso isso não ocorra, a justiça pode ser acionada para regularização da situação. Entretanto, é importante frisar que essa não é a melhor escolha a se fazer, já que os prejuízos podem ser grandes para quem tem o “nome sujo ”.  

Desvantagens do nome negativado 

Além do estresse emocional, ter o nome negativado implica em algumas restrições importantes para a pessoa que está na lista de inadimplentes. Confira algumas delas: 

Restrição ao crédito 

Uma das consequências mais imediatas é a dificuldade que o consumidor terá para obter crédito, e isso inclui desde conseguir empréstimos a fazer um novo cartão de crédito. E a regra se aplica não somente aos bancos e financeiras, mas também às lojas que ofereçam crediário próprio. Ou seja, as opções de compra e de crédito tornam-se bem escassas.   

Queda no score 

É bom saber que boa parte das empresas de crédito utiliza um modelo estatístico de medição de risco, chamado score de crédito, que serve justamente como parâmetro para a tomada de decisão sobre a disponibilidade de empréstimos e financiamentos aos seus clientes. Ele leva em consideração, principalmente, os seguintes fatores:

  • Pagamento de contas em dia; 
  • A relação financeira que o consumidor tem com as empresas; e 
  • O histórico de pagamentos feitos em atraso. 

Ou seja, o nome negativado compromete diretamente o score de crédito, afetando sua pontuação e tornando bem restrito o seu acesso a crédito.    

Possibilidade de crédito com taxas de juros mais altas 

Lembre-se sempre: há bem poucas oportunidades de crédito para quem tem o nome negativado. Mesmo que consiga um empréstimo em uma financeira, ou no banco, as taxas cobradas serão mais altas, tudo para compensar o risco de um possível não pagamento do valor emprestado. 

O que fazer depois de limpar o nome 

Os passos que destacamos aqui, neste artigo, certamente o ajudarão a resolver o seu problema com relação ao nome negativado. Entretanto, mais importante do que pagar as dívidas é não contrair novas que possam pesar seriamente no seu orçamento. E a educação financeira, nesse sentido, o ajudará a organizar melhor suas finanças. Veja as dicas: 

Guarde dinheiro 

É muito importante que guarde dinheiro e busque construir uma reserva para os casos emergenciais. O planejamento financeiro deve ser cumprido pensando no futuro, no que pode ser feito a longo prazo (saiba mais sobre Reeducação Financeira: 4 Passos para alcançá-la)

E lembre-se: mesmo que consiga juntar pouco hoje, essa economia, quando feita por um longo período de tempo, faz uma grande diferença no futuro. 

Faça um seguro de vida 

Para manter você e seus familiares seguros e amparados, uma das melhores opções é a contratação de um plano de seguro de vida!

Outra opção para ter maior segurança nos momentos de crise é contratar r um seguro de vida, o que contribui para dar mais tranquilidade a você e a sua família

O seguro de vida é uma proteção financeira para as horas difíceis, tanto em vida, como no caso de um afastamento do trabalho, quanto no momento da morte. Por isso, incluí-lo no planejamento financeiro é uma medida importante. 

Saiba mais sobre como funciona o seguro de vida.   

Invista em previdência privada 

E é justamente falando sobre futuro que você deve se preparar para não contrair dívidas lá na frente, ainda mais quando estiver mais velho. Uma saída, além de sempre buscar a melhor forma de aplicar o seu dinheiro, é investir em uma previdência privada.  

Diferente da previdência social, a previdência privada não tem teto. Ou seja, é possível escolher o tempo de contribuição (curto, médio, ou de longo prazo). Quer saber mais? Clique abaixo!

Conheça os tipos de previdência privada e entenda porque precisamos dela.  

Seguindo essas dicas, você deixará para bem longe o fantasma da negativação e das dívidas. Sendo assim, procure investir no seu futuro e tenha uma vida financeira bem mais tranquila! 

Leia também: 

Publicado por Alessandra de Paula

Alessandra de Paula tem mais de 15 anos de experiência em produção de conteúdo e pesquisa jornalística. Integrou a equipe de Comunicação do Ministério da Cultura, e trabalhou em grandes empresas do Rio de Janeiro, como O Globo, Extra, Jornal do Brasil, Jornal do Comercio, CDN, In Press e SRCOM, realizando diversas coberturas, incluindo Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016, e Réveillon de Copacabana. Também produziu conteúdo para sites da Rede Globo.

Deixe seu comentário