Tipos de investidores: descubra qual o seu perfil e melhore as suas finanças

Por Diana Dantas

Autoconhecimento é um assunto na moda hoje em dia e há diferentes formas de alcançá-lo, de acordo com o que se acredita. Tem gente que parte para a psicanálise Freudiana, Junguiana, Lacaniana. Outros preferem astrologia, tarô e livros de autoajuda. Alguns se apegam a diferentes religiões ou práticas, como a yoga e a meditação. Caminhos distintos que levam ao mesmo destino.

Em meio a tantas “estradas”, você, no entanto, já tentou escolher uma para se conhecer financeiramente? Sim, parece um tema muito “material” comparado à complexidade do ser humano, mas também é essencial na hora de evoluir o saldo da conta bancária. Uma auto análise, para descobrir em quais dos tipos de investidores você se encaixa, pode ajudá-lo a fazer as escolhas corretas e não se arrepender depois.

Se você nunca fez essa avaliação, instituições financeiras, certamente, farão por você na hora de aplicar. Ao abrir um investimento, além de pedir seus dados pessoais, sobre sua renda e patrimônio, elas também fazem uma série de perguntas, conhecidas como teste de “Suitability” (“Adequação”, na tradução literal do inglês).

A ideia é saber qual dos tipos de investidores você é: conservador, moderado ou agressivo. Esse perfil é, em grande parte, determinado pelo seu conhecimento do mercado e a sua tolerância ao risco.

Entre as perguntas para definir em qual perfil de investidor você se encaixa, são comuns algumas como:

  • Quanto tempo tem intenção deixar o dinheiro aplicado?
  • Qual o objetivo do investimento?
  • O quanto você entende de mercado financeiro?
  • Qual a sua relação com risco?

Todas essas e muitas outras, servem para traçar o seu perfil e descobrir em qual dos tipos de investidores você se enquadra, e só depois disso, direcionar as suas aplicações.

Conheça os tipos de investidores!

Descubra em qual dos tipos de investidores você se encaixa, e então, comece de fato a investir e atingir os seus objetivos!

Existem três tipos de investidores, os conservadores, os moderados e os agressivos. Acompanhe abaixo as principais características de cada um deles:

Investidor conservador

O investidor conservador é aquele que busca segurança e tranquilidade em seus investimentos, mesmo que possua uma rentabilidade mais baixa, pois não está disposto a perder patrimônio. Normalmente, esse perfil de investidor é associado a pessoas com menor conhecimento do mercado financeiro, pois são iniciantes no tema ou por terem maior medo de se arriscar.

Esse perfil pode buscar dicas de segurança financeira e conteúdos mais educativos, pois almejam uma maior estabilidade financeira para atingir seus objetivos, como conquistar a casa própria ou pagar uma faculdade para os filhos, porém, sem se arriscar tanto.

Os fundos de renda fixa são conhecidos por serem ideais para os investidores conservadores. Entre eles estão o Tesouro Direto, o CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) e os fundos DI.

Investidor moderado

O investidor moderado  é aquele que tolera um pouco mais o risco, mas sem comprometer a sua segurança e tranquilidade. Para manter esse equilíbrio, esse perfil de investidor costuma ter uma carteira mais diversificada, com cerca de 80% de seu patrimônio na renda fixa e o restante em fundos de rendas variáveis de menor liquidez.

Assim, garantem uma rentabilidade mais elevada sem expor demais seus recursos, buscando a manutenção de sua independência financeira. Esse perfil é, geralmente, associado a pessoas que têm um maior conhecimento do mercado financeiro, mas ainda buscam dicas de investimentos financeiros.

Esse perfil busca entender quais os investimentos mais seguros e que garantam um resultado a curto e médio prazo, almejando a garantia de sua estabilização financeira em uma possível crise.

Além das aplicações em renda fixa, os investidores moderados também têm por hábito diversificar uma parcela menor de sua carteira em: ações, debêntures, fundos multimercados, letras financeiras, fundos imobiliários, CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários) e CRA (Certificado de Recebíveis Agrícolas).

Investidor agressivo

É  aquele investidor que está atrás de uma maior rentabilidade e não se incomoda em se arriscar mais. Essas pessoas conhecem com mais profundidade o mercado, têm mais tempo de se dedicar a estudá-lo e sabem que, apesar de possíveis perdas diárias, a médio e longo prazo podem ter um retorno financeiro maior, estudando o momento para avaliar seus próximos investimentos..

Esse perfil, em geral, possui uma maior porcentagem de sua carteira em rendas variáveis, mas não significa que invista todo o seu dinheiro nessa modalidade. Uma parcela de seus recursos também é destinada à renda fixa para fundos de emergência e objetivos de curto prazo com maior liquidez.

Esse perfil de investidor pode buscar investimentos que irão garantir sua independência financeira ao se aposentar, passando mais tempo com a família sem se preocupar com problemas financeiros. 

Além de todas as aplicações citadas acima, esses tipos de investidores também podem aplicar em moedas estrangeiras, derivativos ou no mercado a termo.

Qual o seu tipo de investidor? 

Como dito anteriormente, as instituições financeiras farão o teste de “Suitability” para descobrir em qual desses tipos de investidores você se encaixa e orientar seus investimentos dentro desse perfil.

No entanto, o melhor mesmo é você ter essa consciência. Se for difícil determinar, para ajudar, tente se fazer as mesmas perguntas mencionadas nesse artigo, sobre quais são os seus recursos, o seu conhecimento no mercado financeiro e os seus objetivos financeiros.

Por fim, mas não menos importante, faça uma autoanálise para saber como você lida emocionalmente com dinheiro. Essa introspecção é fundamental para não dar um passo maior que a própria perna.

Se não tiver tranquilidade na hora de obter algum prejuízo, por exemplo, o perfil agressivo não é para você, por mais que queira ver sua rentabilidade decolar. Comece devagar, vá ganhando confiança, para assim, conquistar seus objetivos.

Gostou de aprender sobre tipos de investidores? Que tal ler também sobre a diferença entre fundo de pensão e plano de previdência complementar?

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário