7 investimentos rentáveis que podem enriquecer sua carteira!

Por André Iunes

Tão importante quanto trabalhar e gerar renda é fazer com que o seu dinheiro não fique parado. No Brasil, segundo dados da Bolsa de Valores (B3), de 2019 para 2020, o número de CPFs cadastrados no mercado de ações deu um grande salto, com um aumento de 92,1%, superando a marca de três milhões de investidores. Em países como Estados Unidos e Japão, por exemplo, esse índice chega, respectivamente, a 55% e 45%. 

Mas se você é do tipo de pessoa que não gosta de se arriscar no mercado de renda variável, saiba que existem algumas boas opções de investimentos rentáveis em renda fixa que o farão repensar seriamente, caso ainda queira continuar a investir na poupança

Se esse é o seu caso, acompanhe este post até o fim que vamos apontar algumas aplicações interessantes para investir o seu dinheiro. Confira a seguir! 

Quais fatores influenciam na rentabilidade de um investimento? 

Investimentos rentáveis de renda fixa sofrem da influência de diversos fatores.. Podemos citar, entre eles, o tempo no qual você pretende deixar o seu dinheiro rendendo e o índice utilizado, podendo ser fixado (baseado em algum percentual mês a mês), ou ter como referência a taxa Selic; o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), considerado o índice mais comum; a inflação, entre outros.   

Conheça sete investimentos rentáveis para seu portfólio!  

Existem diversos investimentos rentáveis que podem atender a necessidade de todos os perfis de investidores!

A seguir, vamos mostrar sete tipos de investimentos rentáveis que podem ser interessantes para ter na sua carteira de investimentos. Veja abaixo:  

CDB 

Começamos pelo Certificado de Depósito Bancário, mais conhecido pela sigla CDB, que é emitido pelos bancos. É um tipo de investimento em renda fixa, que, na verdade, nada mais é do um “empréstimo” que uma pessoa faz a uma entidade financeira. Isso mesmo que você leu: é como se estivesse emprestando o seu dinheiro a um banco. 

Nesse caso, o retorno do investimento se dá por meio de uma taxa de rentabilidade, que é definida ao escolher o CDB. Fica aqui uma dica interessante: pesquise os CDBs que são emitidos por bancos menores, pois costumam apresentar melhores taxas de rendimento. Outra dica é ficar atento aos prazos de vencimento do CDB: quanto maiores, melhores são os índices. 

Tesouro Direto 

Mais um na lista de investimentos rentáveis, por ser emitido pelo Governo Federal, o Tesouro Direto é um título com baixo risco de operação e rentabilidade superior à da poupança. É a projeção dos juros futuros no Brasil que define o valor do Tesouro Direto. 

Trocando em miúdos, quando há projeção de que a taxa Selic vai subir, o valor do Tesouro Direto desce, entretanto, oferecendo maior rentabilidade. Agora, caso o cenário econômico seja de baixa dos juros, ocorre aí o contrário: o valor do Tesouro Direto sobe e o rendimento cai.   

Fundos de Renda Fixa 

Imagine poder investir em diversos ativos de renda fixa ao mesmo tempo, incluindo títulos públicos federais, debêntures, CDBs, LCI/LCA, entre outros? E o melhor, ter sua aplicação administrada por gestores especializados, que movimentam a carteira de investimentos, selecionando os ativos que são os mais rentáveis. 

É assim que funcionam os fundos de investimento, que podem ter em seu portfólio 80% de aplicações em renda fixa e 20% em derivativos (dólar, ações, soja, café, milho, algodão, etc.). 

LCI e LCA 

LCI significa Letras de Crédito Imobiliário e é referente a títulos emitidos por instituições financeiras, servindo de fonte para investimento no setor imobiliário. Assim como o CDB, o investidor também empresta o seu dinheiro, recebendo no futuro o valor corrigido. 

Com garantia do Fundo Garantidor de Créditos, o LCI possui data de vencimento, o que permite ao investidor ter previsão de rentabilidade do valor aplicado. Sendo assim, o mais indicado é pensar no investimento em médio e longo prazos.  

Agora, caso queira aplicar seu dinheiro em investimentos rentáveis de um setor também promissor, o caminho é as Letras de Crédito do Agronegócio, ou, simplesmente, LCA, que são títulos emitidos por instituições financeiras. Vale lembrar que, se prefixada, a rentabilidade da LCA é estipulada no ato da sua aquisição, ou posteriormente, no caso de ser pós-fixada. 

Dessa forma, é muito importante, antes de investir em LCA, que analise bem o seu indexador. Da mesma forma que o LCI, as Letras de Crédito do Agronegócio também são garantidas pelo Fundo Garantidor de Créditos. Por último, uma dica: quanto maior o seu prazo de vencimento, maior o lucro desses investimentos rentáveis. 

Fundos Multimercados 

Outra boa opção entre os investimentos rentáveis, os fundos multimercados podem ser uma opção interessante para quem deseja rendimentos mais altos aos obtidos nos fundos de renda fixa, já que esse tipo aplicação conta com ativos de diferentes mercados, incluindo desde renda fixa e câmbio ao mercado de ações, por exemplo. 

Em geral, no que diz respeito aos riscos e ganhos, os fundos multimercados são tidos como um investimento que transita entre os fundos de renda fixa, mais voltados a pessoas conservadoras, e o mercado financeiro, que atrai investidores mais arrojados.   

Fundos de Ações 

Agora, se almeja rentabilidades ainda maiores (e riscos também, é bom lembrar), os fundos de ações podem ser um caminho. Com eles, é possível ter o seu dinheiro aplicado no mercado de ações, na verdade, em um conjunto de ações, que é administrado por um gestor profissional. 

Caso você não tenha familiaridade com a bolsa de valores, mas quer investir nesse mercado, o fundo de ações se destaca entre os investimentos rentáveis, sendo uma opção interessante.  

Previdência Privada 

Aqui vamos falar de um investimento importante. Se você é do tipo de pessoa que gosta de se planejar, de pensar no futuro, é fundamental levar em consideração contratar um bom plano de previdência privada

A ideia é, justamente, garantir para o dia de amanhã uma fonte de renda que lhe traga mais tranquilidade e qualidade de vida, ainda mais se colocarmos na balança as possíveis mudanças que a previdência social pode sofrer ao longo dos anos. 

Dessa maneira, garanta hoje a sua renda complementar na terceira idade.  

Existem dois tipos de previdência privada: a aberta e a fechada (conheça aqui a diferença entre as duas). As previdências fechadas consistem nos fundos de pensão, que são planos contratados especificamente por uma empresa para seus funcionários. 

Já a previdência aberta é oferecida por bancos, entidades, ou seguradoras, e é dirigida a pessoas físicas, ou jurídicas. 

Na previdência aberta, existem duas modalidades: o Plano Gerador de Benefício Livre, também conhecido como PGBL, e Vida Gerador de Benefício Livre, ou VGBL

O PGBL, indicado para quem declara o Imposto de Renda pelo formulário completo, tem como benefício a desoneração fiscal. Ou seja, o contribuinte tem direito a uma dedução fiscal de até 12% da renda tributável.

Já no VGBL, o imposto do resgate é cobrado somente sobre o ganho de capital, e não em relação ao total acumulado, sendo mais indicado aos declarantes do formulário simples do Imposto de Renda. Nesse caso, não há dedução.  

Para você que quer investir ou migrar sua previdência privada para a Icatu, saiba que os planos são administrados por gestores de investimentos licenciados, e é possível ter diferentes opções de rentabilidade, obedecendo cada perfil, que pode ser conservador, moderado e agressivo, com rentabilidades líquidas, ao ano, estimadas de 4%, 6% e até 8%, respectivamente. 

Agora que você já possui mais informações sobre diferentes tipos de investimentos rentáveis, procure aprofundar seus conhecimentos para aplicar com segurança o seu dinheiro, sem esquecer, é claro, de poupar para o seu futuro também!  

Se gostou desse assunto, veja outros conteúdos que podem ajudá-lo: 

Publicado por André Iunes

André Philippe Iunes é jornalista, especializado em marketing de conteúdo e digital, com mais de 20 anos de experiência. Já atuou em importantes veículos, como os jornais O Globo e Extra, além do portal Globo Cidadania, onde produziu conteúdo para os sites Globo Ciência, Globo Ecologia e Globo Universidade. Trabalhou como diretor de redação da revista Webdesign e editor executivo da revista Áudio, Música & Tecnologia, com várias coberturas internacionais. No mundo corporativo, desenvolve projetos para grandes empresas envolvendo estratégia de conteúdo digital.

Deixe seu comentário