Como manter o equilíbrio financeiro em tempos de crise?

Por Paula Lopes

A conquista do equilíbrio financeiro é um desafio para a maioria dos brasileiros. Em tempos de crise, o problema torna-se ainda maior. No Brasil, cerca de 50% das famílias possuem dificuldades para manter as despesas controladas dentro dos limites dos ganhos gerados no mês.  

O que se observa de mais comum é a falta de controle nos gastos e muita gente recorrendo a empréstimos ou ao parcelamento permitido pelo cartão de crédito de forma descontrolada. 

Numa crise, como a gerada pela pandemia, o desafio de manter as contas em dia alcançou novos patamares. Aprender a manter o equilíbrio financeiro tornou-se um aprendizado urgente e fundamental. 

Por isso fizemos este post para você. Acompanhe até o final! 

O que é e qual a importância do equilíbrio financeiro?   

O equilíbrio financeiro existe quando há igualdade entre receitas e despesas, incluindo neste contexto os investimentos para a construção patrimonial que deve garantir a sustentabilidade da vida no futuro. 

Manter os gastos dentro dos limites do que se pode bancar, ainda mais em tempos de crise, é para uma minoria no nosso país. Assim confirma a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), calculada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que registrou uma média anual de 66,5% de famílias endividadas no Brasil em 2020.  

A média é 2,8% acima do registrado em 2019, e a maior média anual da série iniciada em 2010. A Peic considera endividamento qualquer tipo de dívida, incluindo cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro. 

Viver com a corda pendurada no pescoço, escolhendo a conta que não vai ser paga no mês não é o ideal de vida de ninguém. Garantir proteção financeira para si e para a família é uma necessidade vital que traduz a importância do equilíbrio financeiro. 

Quem é organizado com as finanças reduz os impactos de situações imprevistas na rotina da família, garante a continuidade dos planos e sonhos, tem mais liberdade no orçamento e foco no que é prioridade.   

Saiba que a busca pelo equilíbrio financeiro vai muito além do corte de gastos, do acúmulo de dinheiro e da realização de investimentos. Estamos falando de um processo de aproveitar a vida com segurança suficiente para se proteger de imprevistos, um gesto de respeito a si próprio e a prosperidade de todos.  

Como manter um equilíbrio financeiro? 

É com o equilíbrio financeiro que seus sonhos irão se realizar!

Para manter o equilíbrio financeiro, seja em tempos de crise ou em qualquer outra época, é necessário comprometimento e dedicação.  

Começar o mês com todo o orçamento comprometido em contas e dívidas é, imensamente, frustrante, mas com algumas ações essenciais que organizam as finanças e trazem consciência e sentido para todo esforço, a disciplina e as mudanças de atitude exigidas tornam-se naturais. 

Saber administrar as finanças é evoluir para uma situação de vida que você mesmo vai definir, sem ter que correr o risco de entrar em dívidas ou deixar de pagar contas caso imprevistos aconteçam. Vamos ao que é preciso para que seu equilíbrio financeiro funcione na prática.  

Entenda seus gastos 

Quem busca equilíbrio financeiro deve saber exatamente onde e quanto está gastando. Anote toda e qualquer despesa, todos os dias, por pelo menos um mês. Este é o primeiro passo para que você forme uma consciência financeira e seja capaz de analisar os grandes ofensores do seu orçamento. 

Você também poderá estipular algumas metas de redução para gastos exagerados e fora de proporção. Os limites e o bom senso são seus. 

Comece um planejamento 

Todo seu esforço financeiro ganhará novo sentido quando você conseguir refletir seu atual momento de vida e estabelecer objetivos concretos.  

Cada um desses objetivos são, de fato, uma ferramenta poderosa para te ajudar a decidir sobre o uso do dinheiro e dos recursos de modo inteligente. Quando o dinheiro é direcionado para o lugar correto, os resultados acontecem mais rápido e são mais satisfatórios.  

O empenho na busca pelo equilíbrio financeiro aumenta, torna-se mais eficiente e menos oneroso no que tange às eventuais restrições e moderações. 

Estabeleça metas 

Tendo desejos bem definidos, é preciso que sejam priorizados e divididos em metas de curto, médio e longo prazo. O controle de gastos e a escolha dos investimentos serão diretamente influenciados por essa régua. 

Certamente você terá que fazer algumas concessões e eliminar excessos para avançar em direção às suas conquistas. Mas o que faz toda a diferença nessa trajetória é ter um propósito que te orienta e estimula a progredir.  

Você já sabe o que quer e onde e quando quer chegar. Saber o quanto investir e acompanhar o passo a passo de cada conquista é um desafio de foco e comprometimento com você mesmo.  

Faça uma reserva de emergência 

Algumas vezes nós cedemos a algumas tentações desnecessárias afetando nosso equilíbrio financeiro. Para evitar prejuízos, temos que rever todos gastos e fazer ajustes temporários até que o equilíbrio se restabeleça.  

Outras vezes, somos afetados por imprevistos como queda no rendimento, gastos inadiáveis, problemas de saúde ou mesmo consertos no carro ou na residência. Para conseguirmos administrar situações como essas, é essencial criar uma reserva de emergência. Esse é um dos principais passos para não afetar o seu equilíbrio financeiro e evitar a tomada de empréstimos.  

Uma reserva de emergência deve ter pelo menos entre 6 a 12 meses de suas despesas mensais. O dinheiro deve ser aplicado em investimentos de rápido resgate, sem perdas.  

Se você ainda não tem uma reserva de emergência, nossa sugestão é que coloque este item no seu planejamento como uma meta prioritária de curto prazo. 

Use o cartão de crédito apenas quando necessário 

O cartão de crédito pode ser utilizado como aliado, mas a tendência na prática é que ele seja usado sem moderação de forma descontrolada. 

Sem noção das parcelas futuras e do orçamento comprometido, as pessoas perdem o controle do que ainda precisam pagar, assumindo novas obrigações sem ter condições. 

Manter o equilíbrio financeiro em momentos de crise é evitar, sobretudo, arcar com novas dívidas. Está fora de cogitação fazer do pagamento das parcelas ou juros do cartão de crédito uma delas. 

Como a previdência privada contribui com meu equilíbrio financeiro? 

Conforme citamos no início deste post, o equilíbrio financeiro deve contemplar os investimentos na construção patrimonial e na sustentabilidade da vida no futuro. Desta forma o investimento numa previdência privada torna-se uma ideal e recomendada. 

Uma previdência privada é um investimento a longo prazo, que serve como um complemento de renda após a aposentadoria.

Você conta com opções de aporte muito acessíveis, que não inviabilizam o investimento mesmo em momentos de crise. 

Além do valor mensal que cabe no orçamento, o investimento em previdência tem diversas vantagens, entre elas a possibilidade de fazer a cotação 100% online e gratuita. Você pode fazer uma primeira cotação agora mesmo aqui na Icatu.

Quer saber mais sobre a previdência privada e entender como ela contribui com seu equilíbrio financeiro? Confira aqui

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário