O que esperar do mercado de seguros em 2021?

Por André Iunes

Em 2020, nem o melhor dos analistas poderia prever que o mundo passaria por uma transformação que impactaria diferentes setores, com repercussões não só na área da saúde, como também na economia, na vida social, no mercado de seguros e, até mesmo, na política.

A pandemia de Covid-19 mudou radicalmente as rotinas das pessoas: uso de máscaras, regras de higienização, isolamento social, entre outros hábitos, passaram a fazer parte do chamado “novo normal”, reflexo das muitas mudanças que a sociedade teve que incutir em tão pouco tempo.

No setor econômico, em especial, o vírus “contaminou” diferentes estruturas. Com as pessoas em casa, o consumo caiu drasticamente, afetando diversos segmentos e causando a falência de muitas empresas. Como consequência: demissões, ou jornada de trabalho reduzida, o que reforçou, ainda mais, o ciclo de recessão devido à diminuição da renda familiar

“Da noite para o dia”, muitas companhias tiveram que replanejar sua transformação digital para não sofrer tão diretamente os impactos da crise sanitária, incluindo não somente o teletrabalho de seus colaboradores, como também a criação de novos produtos (bem como a adequação dos já existentes) ao meio digital.

No mercado de seguros, que também sentiu os impactos da crise, não foi diferente. A seguir, vamos abordar as principais mudanças que envolvem o mercado de seguro de vida e como está sendo a adaptação para a retomada desse segmento. Acompanhe!

Como está o mercado de seguros atualmente?

É importante destacar que em 2019, em um cenário pré-pandemia, o mercado de seguros apresentou crescimento. Segundo dados da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg), a arrecadação ano passado foi de R$ 270,1 bilhões (excluindo saúde suplementar e o seguro de DPVAT), aumento nominal de 12,1% em relação a 2018. Descontada a inflação, o aumento real em comparação ao período anterior foi de 8,1%.

Já em relação ao primeiro semestre de 2020, conforme números divulgados em agosto pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o mercado de seguros encerrou o período com receita 4,3% menor em comparação ao mesmo recorte em 2019.

Apesar da queda, a entidade aponta perspectiva de retomada no setor, em especial nos segmentos de seguros de danos e pessoas. Em junho, as receitas dos segmentos supervisionados pela Susep totalizaram R$ 23,35 bilhões, crescimento de 32,9% relativo a maio.

E o que esperar desse mercado em 2021?

Apesar da difícil tarefa de prever qual será o cenário em 2021 para o mercado de seguros, levando em conta o movimento de retomada apontado pela Susep no primeiro semestre de 2020, certas tendências -algumas já colocadas em prática no segmento – serão consideradas como grande diferencial competitivo. E uma delas é, justamente, a transformação digital das empresas e os novos produtos que surgirão a partir dela.

De fato, estamos cada vez mais online, com computadores e celulares revolucionando o nosso dia a dia, nos permitindo adquirir, com apenas alguns cliques, uma infinidade de produtos e serviços.

Nesse contexto, a pandemia de Covid-19, com suas restrições impostas pelo isolamento social, veio a acelerar o uso da tecnologia, fazendo com que as empresas, que antes não olhavam com atenção para o digital, mudassem rapidamente de mentalidade.

Como exemplo, a partir do amadurecimento do mercado de seguros de vida online, surge um novo conceito empresarial, o das insurtechs. O termo é uma mescla das expressões em inglês insurance (seguro) e technology (tecnologia) e está relacionado a um modelo de negócio que busca a inovação, no qual as seguradoras atuam no mercado digital, se aproximando cada vez mais dos clientes, oferecendo mais agilidade, mas sem abrir mão, é claro, da segurança. 

Novos produtos no mercado de seguros!

Entre o ano de 2020 e 2021, o mercado de seguros passou por diversas mudanças. Uma delas é a possibilidade de contratar um seguro totalmente online!

Seguindo as transformações que envolvem o digital, o mercado de seguros está trabalhando em prol de novos produtos que atendam as necessidades atuais das pessoas. Confira alguns deles abaixo!

Telemedicina como diferencial

É no contexto das novas mídias que a Telemedicina entra em questão no mercado de seguros. É um serviço de orientação médica totalmente online, que colabora com o dia a dia das pessoas e favorece o momento de isolamento.

Em alguns casos, o processo de teleorientação é realizado via WhatsApp. A partir desse primeiro contato, caso necessário, é feito o agendamento da teleconsulta por uma plataforma de telemedicina.

Sempre que precisar, o cliente pode usar o serviço com atendimentos ilimitados não só para tirar dúvidas gerais, como no caso em que se sentir mal, ou passar por algum procedimento médico.

Possibilidade de contratação online

Seguindo a tendência digital das insurtechs, atualmente, o mercado de seguros disponibiliza a possibilidade de contratação online de um seguro de vida, de forma fácil, prática e muito segura.

A Icatu, por exemplo, oferece em seu portfólio o Essencial, um seguro de vida totalmente customizável. A contratação é simplificada e pode ser 100% online: desde a cotação dos valores até a assinatura eletrônica da proposta.

O cliente cota seu seguro, responde perguntas pertinentes à contratação e recebe uma cotação com algumas coberturas sugeridas, podendo incluir, ou excluir, as que estão de acordo com suas necessidades.

Seguros intermitentes

Por falar no que realmente é necessário, pelo fato de a pandemia ter afetado diretamente a renda das famílias, muitos brasileiros tiveram de ajustar suas contas para manter somente aquilo que é prioritário.

Para se ajustar a essa nova realidade, o mercado de seguradoras vem disponibilizando atualmente seguros intermitentes, modalidade na qual o cliente paga somente pelo tempo que realmente precisa do produto. Ou seja, se antes era possível apenas personalizar as apólices de seguro conforme as coberturas desejadas, hoje pode-se customizar o tempo de contrato.

É preciso lembrar que os seguros intermitentes, ou seguro pay per use, já são uma opção no mercado de seguros de  outros países, como os Estados Unidos. Com um seguro auto intermitente, é possível, por exemplo, contratar a proteção do seu veículo por algumas horas, dias, meses, ou, até mesmo, por determinados trechos, ou viagens. É o cliente que escolhe o tipo de proteção e por quanto tempo.

Independente do cenário que será encontrado em 2021 e dos novos desafios que vierem pela frente, é preciso ter em mente que o consumidor está cada vez mais empoderado e consciente de suas escolhas, inclusive, no mercado de seguros.

Assim, ganham-se segurados e seguradoras ao promoverem mudanças significativas que visam à melhoria não só do mercado como um todo, mas também da qualidade de vida e da satisfação de seus clientes.

E, então? O que achou da perspectiva do ano de 2021 para o mercado de seguros?  Se deseja contratar seu seguro de vida online mas está esperando o momento certo, lembre-se que esse momento pode ser agora. Clique no banner abaixo e faça sua cotação gratuitamente!

Leia também:

Publicado por André Iunes

André Philippe Iunes é jornalista, especializado em marketing de conteúdo e digital, com mais de 20 anos de experiência. Já atuou em importantes veículos, como os jornais O Globo e Extra, além do portal Globo Cidadania, onde produziu conteúdo para os sites Globo Ciência, Globo Ecologia e Globo Universidade. Trabalhou como diretor de redação da revista Webdesign e editor executivo da revista Áudio, Música & Tecnologia, com várias coberturas internacionais. No mundo corporativo, desenvolve projetos para grandes empresas envolvendo estratégia de conteúdo digital.

Deixe seu comentário