Tudo sobre Previdência Privada: um guia sobre o tema! | Blog Icatu

Tudo sobre Previdência Privada: um guia sobre o tema!

Por Diana Dantas

Ao envelhecer, a disposição para trabalhar não é mais a mesma. A impaciência com algumas situações no emprego torna-se maior. A vontade de se libertar da rotina maluca do dia a dia, de levar uma vida mais calma e de ter novas experiências também aumenta. Entretanto, nem sempre querer é poder.

Para realizar todos esses sonhos, às vezes, é necessário ter uma renda complementar, na qual se possa contar. Existem várias formas de acumular capital ao longo dos anos. Uma das melhores é adquirir uma previdência privada e os brasileiros tem percebido isso, segundo dados da FenaPrevi, os investimentos em previdência privada cresceram 16,9% em 2019.

Os dados revelam ainda que a indústria fechou 2019 com 13,5 milhões de participantes, sendo 10,2 milhões inscritos em planos individuais e 3,2 milhões em planos coletivos.

Visto isso, fizemos esse guia onde vamos abordar tudo sobre previdência privada, a fim de sanar as dúvidas para que você possa começar o seu planejamento previdenciário o mais rápido possível. Vamos lá?

O que é Previdência Privada?

Para chegar bem na terceira idade é preciso ter planejamento, por isso, confira tudo sobre previdência privada e prepare a sua aposentadoria.

Para abordar tudo sobre previdência privada não podemos deixar de começar explicando o que ela é, não é mesmo? Acompanhe!

Ela é um excelente tipo de investimento para o longo prazo. Embora este seja um dos focos, uma coisa que muita gente não sabe é que ela não precisa ser utilizada, necessariamente, para uma aposentadoria.

A previdência privada pode ser o investimento ideal para auxiliá-lo na realização dos seus sonhos, sejam eles uma viagem internacional em família, o pagamento da faculdade dos filhos ou alcançar a independência financeira.

A diferença entre a Previdência Social e Previdência Privada

As diferenças entre a Previdência social e a privada são muitas, no entanto, a que mais destaca-se é que a social é pública e toda pessoa que trabalha com a “carteira assinada” está vinculado a ela, já que é gerida pelo INSS

Oferecida por instituições, como bancos, seguradoras e corretoras, a previdência privada possui caráter complementar à renda oferecida pelo governo, através da previdência social, e é fiscalizada pelo órgão SUSEP ou pelo PREVIC, dependendo da modalidade.

A importância da Previdência Privada

A previdência privada funciona como um seguro e, por isso, é regulamentada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), uma entidade do governo federal. 

O fato de não ser ligada à Previdência Social traz inúmeras vantagens ao cliente, pois ele fica independente das regras e dos problemas do órgão, como o teto da aposentadoria (R$ 6.433,57, em 2021) e o déficit de R$ 276,1 bilhões, previsto para 2021.

Para ter um futuro confortável, o cliente precisa começar a poupar o mais cedo possível. Desse modo, conseguirá usufruir da renda ainda jovem e com saúde. Diferente do INSS, ele pode retirar o dinheiro quando precisar. 

Só é importante estar atento às especificidades de cada plano a fim de evitar surpresas no momento de sacar.

Principais características da Previdência Privada

Somente a previdência social pode não ser o suficiente para você realizar os seus sonhos no futuro, por isso, aprenda tudo sobre previdência privada e faça um plano ideal para você!

 Confira algumas das características da previdência privada:

Essas são as principais características e como você já as conhece, que tal acompanhar quais são os tipos de planos existentes na previdência privada? 

Tipos de Planos de Previdência Privada

Existem, basicamente, dois tipos de planos de previdência e para que este artigo contemple tudo sobre previdência privada, vamos abordá-los, a seguir:

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

O primeiro deles é o plano gerador de benefício livre, também conhecido como PGBL. Ele pode ser muito vantajoso para quem faz a declaração de IR na forma completa, já que se torna possível a dedução de até 12% da renda bruta anual tributável.

Vale ressaltar que no momento de usufruto da previdência, o imposto de renda é calculado sobre o valor total (montante= dinheiro + rentabilidade).

Para saber mais sobre PGBL, clique aqui!

Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL)

O segundo tipo de plano de previdência privada é o vida gerador de benefício livre, ou mais conhecido como VGBL. Ele é ideal para quem é isento ou declara o IR na forma simplificada e, no momento do usufruto, o imposto incidirá sobre a rentabilidade e não sobre o montante, como o anterior.

Outra diferença entre eles é que nos planos VGBL não é possível ter a dedução no imposto de renda.

Caso queira saber mais sobre VGBL, clique aqui!

Como funcionam os fundos de previdência?

Para entender melhor o funcionamento da previdência privada é necessário entender como os fundos de previdência funcionam. Pensando nisso, conheça os principais pontos desse investimento.

Composição da carteira

Como em um fundo de investimento, os fundos da previdência possuem diferentes carteiras entre si, que variam de acordo com o perfil e objetivos do investidor.

Até o ano de 2019, no Brasil, existiam apenas 7 tipos de fundo de previdência. Em 2019, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) passou a dividir esses fundos em 23 tipos, divididos em 4 categorias, sendo elas:

Balanceados

Esse tipo de fundo faz operações em ativos de renda fixa e renda variável em proporções pré-definidas. Exemplo: um fundo balanceado 49 busca ter uma carteira composta por 51% de ativos de Renda Fixa e 49% por ativos de Renda Variável. 

A Anbima divide esse tipo de fundo em: Balanceados até 15% (limite de investimento em renda variável), de 15% a 30%, de 30% a 49% e acima de 49%.

Ações

Nesse fundo de previdência, o investidor precisa destinar pelo menos 67% da carteira para aplicações em ações. Podem ser definidos em dois tipos: os indexados, que acompanham as variações de um indicador do mercado e o fundo ativo, livre de necessidade de índices.  

Multimercados

Esse tipo de fundo faz operações em ativos de renda fixa, renda variável, câmbio, entre outras classes, com estratégias de investimento traçadas com base no cenário macroeconômico de médio e longo prazo. 

Esses fundos têm o objetivo de proporcionar retorno absoluto para o seu cotista com o gestor desempenhando um papel primordial nesse processo. Além disso, fundos dentro dessa categoria apresentam diferentes estratégias, filosofias de investimento e níveis de volatilidade.

Renda Fixa

São fundos que buscam lucro por meio de aplicações em ativos de renda fixa, como CBDS, títulos públicos, entre outros. 

Eles são divididos conforme o tipo de papéis que eles investem, podendo ser fundos de previdência soberanos (aplicando 100% do valor em títulos públicos federais), grau de investimento (aplicando 80% do patrimônio em títulos de baixo risco de crédito) ou crédito livre (mais de 20% do patrimônio destinado para ativos de médio e alto risco).

Rendimento da previdência privada

Como citamos anteriormente, o rendimento da previdência privada varia de acordo com o fundo de previdência devido ao tipo de estratégia adotada pelo gestor do fundo.

Em geral, o resultado tende a ser proporcional ao risco com o passar do tempo, tornando-se mais lucrativo no longo prazo de acordo com a elevação do risco. 

A previdência privada combina muito com investimentos de longo prazo, principalmente por suas vantagens tributárias, como a ausência de come-cotas e a alíquota de 10% na tabela regressiva (acima de 10 anos).

Tributação

Há dois planos à escolha do contratante: o PGBL e o VGBL, como já abordamos acima. O primeiro, apropriado aos que utilizam o formulário completo do IR, oferece uma dedução fiscal de até 12% da renda tributável. Já o segundo não dá o desconto, pois é voltado aos isentos ou aos declarantes do formulário simples. 

Tabela progressiva 

Ideal para o cliente interessado em investir no curto e no médio prazo. O cálculo da declaração segue a mesma regra das alíquotas do IR anual, estipuladas pela Receita Federal.

Nesse modelo, os resgates das contribuições sofrem incidência de uma alíquota de 15% na fonte e, na Declaração de Ajuste Anual, permanece submetido à tributação. 

Esse regime também pode ser um bom investimento a longo prazo e pode colaborar para que você pague menos impostos, dependendo dos valores envolvidos e, consequentemente,  da alíquota de imposto no qual a sua base de cálculo se enquadrará.

Tabela regressiva 

Caso o objetivo seja de longo prazo, o segurado provavelmente deverá optar por essa tributação. Isso ocorre porque as contribuições aplicadas por mais tempo possuem alíquotas menores. Quer dizer, se a pessoa investe por mais de dez anos, o imposto será de apenas 10%.

Ao observarmos a tabela abaixo, podemos entender como funciona a proporcionalidade entre tempo e valor cobrado.

A previdência privada também permite ao segurado escolher ganhar uma renda mensal. Assim, dispensa a preocupação em administrar o dinheiro sacado e protege o poder de compra, visto que há um reajuste anual da inflação. 

Ainda é possível escolher proteções adicionais para você e sua família. Coberturas semelhantes a seguros, com contribuições mensais que protegem o participante em caso de invalidez e, em caso de morte, sua família, para ajudar nos gastos com os estudos dos dependentes, na quitação de dívidas ou na despesa do inventário.

Caso você queira garantir uma aposentadoria sem necessitar, exclusivamente, do INSS, pense em uma previdência privada. Ela é o seguro de uma terceira idade mais tranquila.

As taxas da Previdência Privada

Saber tudo sobre previdência privada e planejar o futuro é fundamental para conseguir realizar os seus sonhos e de sua família!

Assim como os outros fundos de investimentos, a previdência possui algumas taxas e elas não poderiam ficar de fora do nosso guia de tudo sobre previdência privada, não é mesmo? Veja, a seguir, quais são elas:

Taxa de administração

A taxa de administração é um valor fixo pago para a empresa que mantém o seu fundo de previdência privada. Essa taxa é cobrada diariamente e de forma automática no valor das cotas do fundo, incidindo sobre o montante aplicado.

Taxa de performance

A taxa de performance é cobrada sobre uma parcela da rentabilidade do fundo de previdência que exceda a variação de um índice de desempenho previamente determinado, chamado de benchmark.

Taxa de carregamento

Já a taxa de carregamento, é cobrada em cima de cada aporte realizado mensalmente. Essa taxa é recebida para arcar com os custos da empresa ao administrar as aplicações. 

Encontrar planos isentos de taxa de carregamento já foi mais difícil. Mas, em um movimento que ganhou força em 2018, diversas seguradoras começaram a zerar essas taxas em planos PGBL e VGBL. 

Taxa de saída

A última taxa é a de saída e ela é cobrada pela administração do seu plano quando é realizado o resgate do investimento. É importante destacar que essa taxa, assim como a de carregamento, não é mais comumente cobrada na maioria das seguradoras.

Até aqui, você aprendeu o que é previdência privada, os tipos existentes, qual a diferença entre ela e a social e quais taxas são incidentes nesse fundo de investimentos. Para abordarmos tudo sobre previdência privada, agora vamos falar sobre como declará-la no IR. Acompanhe! 

Como declarar sua Previdência Privada no Imposto de Renda

Quando receber o benefício, é importantíssimo não esquecer de declará-lo no imposto de renda, por isso, vamos abordar, neste guia de tudo sobre a previdência privada, como declarar o valor no IR. Confira, a seguir!

Tudo vai depender se a retirada for feita pelo titular de um PGBL ou de um VGBL. 

PGBL

Falando do recebimento por um titular de um PGBL, o montante recebido deve ser informado, integralmente, na tabela progressiva (quadro de rendimentos tributáveis de pessoas jurídicas) ou na regressiva (ficha de rendimentos sujeitos à tributação exclusiva), já que a taxa incide sobre o valor total da retirada.

VGBL 

Já os titulares de VGBL, devem dar baixa na declaração de bens no valor que corresponde ao percentual do resgate realizado. 

Se o regime for de tributação progressiva, o ganho de capital, já líquido de IR, deve ser adicionado na tabela de Rendimentos Tributáveis na Declaração de Ajuste Anual. Caso seja na tabela regressiva, o valor deve ser colocado na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”.

Vantagens da Previdência Privada

Além de garantir um futuro mais tranquilo para sua família, a proteção financeira pode ser um dos grandes atrativos!

Por último, neste guia de previdência privada, não poderia faltar quais são as vantagens desse tipo de investimento, não é mesmo? A seguir, confira quais são elas!

O primeiro dos inúmeros benefícios da previdência privada é que a rentabilidade ocorre sobre o valor total da aplicação, já que não possui come-cotas e o IR só é descontado na hora do resgate ou no pagamento da renda na aposentadoria.

Um benefício que já abordamos nos tópicos acima, mas vale ressaltá-lo aqui é para quem declara o IR pelo formulário completo e possui o plano PGBL ocorre o desconto de até 12% da renda tributável.

Outro benefício da previdência privada é a possibilidade de se planejar com os aportes. Ao contratar um plano, a pessoa pode escolher de que forma vai contribuir (aportes esporádicos, único ou contribuição mensal), assim como o valor dessas contribuições. 

Além de tudo o que falamos até aqui, a previdência pode ser a solução para aqueles que não são muito disciplinados com as finanças, já que possibilita contribuições mensais já programadas (na fase de acumulação) e o recebimento do valor em forma de renda mensal (na fase de concessão) e, com isso, permite a realização de sonhos e objetivos financeiros a longo prazo.

Como escolher o melhor Plano de Previdência?

Agora que você já aprendeu sobre como funciona a previdência privada e entendeu sua importância, chegou a hora de escolher o mais adequado para você.

Estratégia do fundo

Após entender quais são seus objetivos e o quanto está disposto a investir, entenda a estratégia de cada fundo de previdência e o quanto cada um deles pode agregar ao seu rendimento.

Busque informações relacionadas ao fundo de investimento, sempre disponibilizados pela Icatu Seguros e pela instituição financeira responsável pela gestão do fundo.

Gestão do fundo

Por falar na gestão do investimento, é extremamente importante escolher uma instituição com histórico positivo e que atenda às normas da Susep. 

Além disso, pesquise o rendimento da carteira, ajudando a entender como a mesma se comporta de acordo com as variações do mercado.

Risco

Por ser um investimento voltado para o longo prazo, a previdência privada tende a passar uma segurança em uma carteira de investimentos, pois possíveis perdas de curto prazo possuem um longo tempo para serem recuperadas.

Entenda também sua tolerância ao risco antes de aplicar seu dinheiro, para que possa identificar o fundo ideal para você! 

Caso seja necessário, é possível trocar o fundo em que os recursos foram destinados, sem problemas. 

Glossário de Previdência Privada

Se quiser conhecer todos os termos relacionados a previdência privada, confira nosso glossário:

Abrapp

Sigla para Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Privada. A Abrapp é uma entidade que representa fundos de pensão

Anapp

Sigla da Associação Nacional da Previdência Privada. Entidade que representa as principais empresas da previdência privada aberta.

Apólice de seguro

A apólice de seguro é o documento oficial, emitido pela seguradora, que define a contratação do seguro e suas condições.

Aportes

Os aportes são as aplicações feitas pelo contratante do plano, com o objetivo de aumentar seu benefício ou diminuir o prazo de contribuição.

Aposentadoria mensal

A aposentadoria mensal é um benefício em forma de pagamentos mensais ao contratante ou seus beneficiários indicados.

Atuária

Atuária é a ciência que determina a precificação e análise de riscos futuros, usado como métrica para elaboração de planos de previdência e seguro.

Averbadora

Averbadora é o nome dado a pessoa jurídica que contrata um plano de previdência privada, vinculando participantes sem a contribuição direta destes.

Beneficiário

O beneficiário é a pessoa indicada pelo contratante para receber os pagamentos de resgate ou benefícios após o falecimento do contratante.

Benefício

O benefício é o pagamento recebido pelo contratante ou beneficiário.

Benefícios acessórios ou complementares

São benefícios que podem ser incluídos de maneira opcional ao contratar um plano de previdência, de maneira similar aos seguros de vida. Neste, o contratante escolhe o pagamento de maneira relacionada ao evento ocorrido. Por exemplo, receber o valor total caso venha a falecer ou receber renda vitalícia em caso de invalidez.

Benefício definido

O benefício definido é um plano onde o valor de contribuição e de benefício são definidos no momento da contratação.

Carregamento

O carregamento é o percentual incidente sobre as contribuições realizadas, com o objetivo de atender a despesas administrativas.

Carteira de investimentos

Carteira de investimentos é o nome dado ao montante de recursos acumulado durante as contribuições dos contratantes.

Certificado

O certificado é o documento responsável por comprovar a inclusão do segurado no plano de seguro.

CNPS

CNPS é a sigla para Conselho Nacional de Seguros Privados.

Cobertura

A garantia de indenização do seguro também pode ser chamada de cobertura.

Comunicação de sinistro

A comunicação de sinistro ocorre quando o segurado ou seu beneficiário entra em contato para comunicar a ocorrência do sinistro.

Contribuição

A contribuição é um valor de aplicação realizada no plano, podendo ser mensal, periódica ou até mesmo única.

Contribuição definida

Modalidade do plano em que apenas a contribuição é previamente definida, com benefício a depender da rentabilidade do fundo.

Contribuição variável

Plano onde o contratante pode efetuar contribuições de qualquer valor, a qualquer tempo.

Corretor

O corretor é o profissional autônomo, devidamente habilitado, responsável por intermediar e promover contratos de seguro, conforme a lei nº 73/1966 e na Lei nº 4.594/1964.

Cotas

São as parcelas em que se divide o patrimônio líquido do Fundo de Investimento Financeiro Exclusivo – FIFE.

CNSP

Sigla para Conselho Nacional de Seguros Privados, órgão normativo do Sistema Nacional de Seguros Privados.

Doenças, lesões e seqüelas preexistentes

São as condições de saúde preexistentes que o contratante reconhece ser portador até a data da assinatura da contratação.

Data de concessão do benefício

Data prevista para a concessão do benefício. 

Declaração de saúde

Documento formal, incluso na proposta de seguro, em que o contratante fornece informações sobre suas condições de saúde. 

Diferimento tributário

É o direito de abater, da renda bruta, as contribuições feitas a um plano de previdência. Assim, há a diminuição da base de cálculo do imposto de renda. É limitado a 12% da renda bruta. 

Elegibilidade 

Análise dos requisitos para se contratar um plano. 

Entidades de previdência privada

Instituições que buscam instituir planos de previdência privada . 

EAPP

Sigla para Entidades abertas de previdência privada. Responsável por possibilitar que qualquer pessoa participe de seus planos.

EFPP

Sigla para Entidades fechadas de previdência privada. São as instituições que oferecem planos exclusivamente aos empregados de uma só empresa, ou de um grupo de empresas do mesmo empregador.

Excedente financeiro

Resultado superior a garantia mínima da prevista em contrato.

Fator de conversão ou fator de renda

Valor calculado para obtenção do benefício, considerando a taxa de juros e taxa biométrica.

Fife

Sigla para Fundo de Investimento Financeiro Exclusivo. É o fundo destinado a receber a totalidade do montante dos recursos destinados ao investimento.

Fapi

Sigla para Fundo de Aposentadoria Programada Individual, regulamentado pela lei 9.477. É um produto de acumulação de recursos vendido por bancos.

Fenaseg

Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização. Responsável pela organização de sindicatos de empresas de seguros estaduais.

FGB

É o Fundo Garantidor de Benefícios. Relacionado aos planos de previdência tradicionais, responsável pela garantia da correção mínima das aplicações e dos benefícios pelo IGP-M,

Fundo acumulado

O fundo acumulado está relacionado ao valor total das contribuições realizadas durante o período de contribuição.

Indexador

Índice contratado para atualização monetária.

Início de vigência do plano

Data inicial da contratação do plano.

Idade de entrada

Idade em que o participante contrata o plano.

Idade de saída

Idade escolhida pelo participante para marcar o início do recebimento do benefício.

Indenização mensal

Série de pagamentos mensais recebidos após a concessão da indenização, seja pelo segurado ou por seus beneficiários.

IGP-M

Sigla para Índice Geral de Preços do Mercado. É o indexador utilizado nos planos de previdência privada para a correção monetária.

Incidência de IR

Débito de imposto ao realizar o resgate do valor acumulado.

Instituidora

No caso de planos empresariais, é a pessoa jurídica contratante de um plano de previdência.

Invalidez permanente

Perda total ou parcial de membros ou de sua capacidade funcional, seja por acidente ou doença.

IOF

Sigla para Imposto sobre Operações Financeiras.

Nota explicativa

Documento responsável por resumir os objetivos e as características do plano de previdência privada.

Nota técnica atuarial

Documento que contém a descrição técnica do plano. Esse documento é obrigatório e precisa da aprovação da Susep.

Participante

Pessoa física que assina a contratação do plano.

Período de benefício

Período onde o contratante ou seu beneficiário recebem o benefício contrato.

Período de carência

Período de tempo, contado a partir do início do plano, em que o beneficiário não terá direito ao recebimento do benefício.

Período de diferimento

Período existente entre a data de inscrição e data de concessão do benefício.

Portabilidade

Direito do contratante em transferir, total ou parcialmente, os recursos acumulados de um benefício para outro.

Proposta de inscrição

Documento onde o interessado oficializa seu interesse em adquirir o plano, aceitando todas as condições prévias.

Pecúlio

Caso o participante faleça durante o período de contribuição, o beneficiário recebe um pagamento único.

Pensão ao cônjuge

Pensão mensal recebida pelo cônjuge após o falecimento do participante do plano.

Pensão aos menores

Em caso de falecimento do participante, seus filhos ou dependentes menores de idade receberão uma renda mensal até completarem 21 anos.

Perfil de investimento

A Previdência Privada é desenhada de acordo com as necessidades e características de cada participante. É através do seu perfil de investimento que a empresa contratada escolhe o fundo ideal para o investimento.

Período de cobertura

Período onde o beneficiário ou contratante receberá o benefício contratado.

PAGP

O PAGP, cuja sigla significa Plano com Atualização Garantida e Performance, está relacionado ao PGBL, com a diferença de que este irá oferecer garantia de atualização monetária e repasse parcial de excedente financeiro.

PRGP

O Plano com Remuneração Garantida e Performance, cuja sigla é representada por PRGP, está relacionado ao PGBL, com a diferença de que este irá oferecer garantia de atualização monetária somada a uma taxa de juros, além de garantir repasse parcial de excedente financeiro.

PGBL

O PGBL, sigla para Plano Gerador de Benefícios Livres, é um dos principais planos de previdência privada, cujo patrimônio é aplicado em um FIFE. Seu desempenho pode ser acompanhado diariamente em jornais ou na internet. O pagamento de imposto de renda é feito apenas no momento do resgate.

Prazo de garantia

O prazo de garantia é o período em que o beneficiário recebe o benefício de renda após o ocasionamento do sinistro.

Prazo de temporalidade

O prazo de temporalidade é o período em que o participante recebe o benefício do plano.

Previdência privada

Investimento a longo prazo, no qual os indivíduos contribuem com seus ganhos a uma seguradora, responsável pelo gerenciamento do fundo durante o período de contribuição e pela gestão do pagamento após o período acordado. É uma alternativa à previdência social.

Provisões técnicas

As provisões técnicas são os valores acumulados pela entidade de previdência privada para garantir a operação da gestão do fundo.

Regulamento

O regulamento é o instrumento jurídico responsável por disciplinar ambas as partes, agindo dentro do regulamento do plano.

Renda

A renda representa a série de pagamentos mensais feitos ao participante do plano.

Reserva matemática de benefícios a conceder

A Reserva Matemática de Benefícios a Conceder representa o saldo decorrente da movimentação de recursos do contratante do investimento.

Reserva matemática de benefícios concedidos

A Reserva Matemática de Benefícios Concedidos é o montante de recursos destinados a garantir o pagamento do benefício, constituído pela movimentação financeira e dos recursos aplicados.

Resgate

O resgate é o pagamento, total ou parcial, ao participante ou beneficiário, da reserva matemática de benefícios a conceder. 

Renda vitalícia

A renda vitalícia consiste em uma renda paga vitaliciamente ao participante a partir da data de concessão do benefício.

Renda temporária

A renda temporária consiste em uma renda paga exclusivamente ao participante, cessando o pagamento após o falecimento ou ao fim do período contratado.

Renda vitalícia com prazo mínimo garantido

A renda vitalícia com prazo mínimo garantido consiste em uma renda paga de maneira vitalícia ao participante, sendo revertida para o beneficiário caso o contratante venha a falecer antes do período garantido.

Renda vitalícia reversível ao beneficiário indicado

A renda vitalícia reversível ao beneficiário indicado consiste em uma renda paga de maneira vitalícia ao contratante, passando ao beneficiário em caso de morte do contratante.

Renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

A Renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores consiste em uma renda a ser paga de maneira vitalícia ao participante, sendo reversível temporariamente em caso de morte para os dependentes menores de idade até que estes completem 24 anos.

Renda por invalidez total e permanente

A renda por invalidez total e permanente é o benefício pago em caso de invalidez total e permanente do participante do plano, onde este para de contribuir imediatamente e recebe todo o valor acumulado no fundo até aquele momento.

Reservas técnicas

As reservas técnicas são reservas obrigatórias constituídas pela entidade de previdência privada, em função dos benefícios contratados e como parte do mecanismo da entidade para garantia das operações.

Susep

Sigla para Superintendência de Seguros Privados. Responsável pelo controle e fiscalização das entidades de previdência privada e seguro de vida.

Tábua atuarial ou biométrica

A tábua atuarial é um instrumento científico utilizado para medir a probabilidade de ocorrência de eventos relacionados à invalidez ou morte.

Taxa de administração

A taxa de administração é a taxa paga à administradora dos planos de previdência para administrar seus recursos provenientes das aplicações feitas em um plano de previdência. É cobrada com base no valor total.

Taxa de carregamento

A taxa de carregamento é a taxa que incide sobre cada aporte financeiro feito ao plano.

TR

O TR representa a Taxa Referencial fixada e publicada pelo Banco Central para atualização monetária. 

VAGP

Sigla para Vida com Atualização Garantida e Performance. Relacionado ao VGBL, com a diferença de que este irá oferecer garantia mínima de atualização monetária e repasse parcial de excedentes.  

VRGP

Sigla para Vida com Remuneração Garantida e Performance. Relacionado ao VGBL, também fornece uma garantia mínima de atualização monetária, porém também possui uma taxa de juros, além do repasse parcial de excedentes.  

VGBL

Sigla de Vida Gerador de Benefícios Livres. Bem parecido com o PGBL, mas com uma diferença tributária. No VGBL, não há diferimento tributário, mas isso é compensado no momento do resgate, pois o valor do imposto recai apenas sobre o lucro do investimento.

Vigência

Prazo que determina o começo e o fim da validade das garantias contratadas.

Publicado por Diana Dantas

Formada pela PUC-Rio, Diana Dantas passou por diferentes redações, como O Estado de S. Paulo, Agora SP (Grupo Folha) e Brasil Econômico (Grupo Ejesa). Nesse período, trabalhou nas editorias de Educação, Cidades, Cultura e Economia. Desde de 2017, escreve para Icatu sobre seguros e planejamento financeiro.

Deixe seu comentário