Por que devo investir em Previdência Privada?

Por Paula Lopes

Recentemente, a Reforma da Previdência Social e a baixa da taxa básica de juros (Selic) evidenciou ainda mais a importância de investir em previdência privada. Se você ainda não está muito por dentro do assunto, vamos te ajudar. 

Segundo a FenaPrevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), as contribuições em agosto de 2019 somaram R$ 11.5 bilhões, valor 23,4% maior que o mesmo período de 2018. Este aumento coincidiu com a fase final da aprovação da Reforma da Previdência no Senado em meio a polêmicas e debates. 

Para os provedores financeiros das famílias, a estabilidade do padrão de vida e da renda no futuro, assim como o planejamento da aposentadoria ganharam um outro nível de consciência e maturidade. 

De antemão, sinalizamos que as vantagens que destacam a previdência como um bom investimento vão além do contexto e ocasião. Para entender o porquê investir em previdência privada, acompanhe esta leitura até o final! 

O que é Previdência Privada? 

Quem pensa em previdência privada pensa em uma renda para o futuro, em grande parte, uma aposentadoria complementar à previdência pública (INSS).  Mas ela pode ser muito mais que isso!

Quem contrata um plano de previdência (PGBL ou VGBL) vincula seu dinheiro ao fundo de investimento previdenciário atrelado ao plano. Ou seja, a reserva varia de acordo com a rentabilidade do fundo.

A gestão desses fundos é realizada por instituições financeiras ou gestoras de recursos. Os planos de previdência sempre são vinculados a uma seguradora e esse produto é regulado e fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep)

Afinal, por que devo investir em previdência privada? 

Vamos trazer aqui três características de destaque desta aplicação que fazem dela um dos melhores investimentos para longo prazo: 

Flexibilidade 

No momento em que você vai investir em previdência privada, é possível escolher o valor e a periodicidade da contribuição, ajustando essas duas variáveis conforme sua situação financeira exigir ao longo dos anos. 

O contratante pode, inclusive, suspender as contribuições por determinado período sem comprometer as aplicações já feitas ou a rentabilidade do dinheiro investido. Essa flexibilidade faz da previdência privada um ótimo investimento para momentos de crise. 

A disciplina e a frequência nos aportes, claro, são extremamente importantes e impactam na hora de fazer uso do dinheiro investido, mas essa é a única penalidade. Não há nenhuma outra trava. 

A questão da flexibilidade ao investir em previdência privada não para aqui: 

  • A única exigência para começar este investimento é ter um CPF, não há idade mínima. Por isso, muitas famílias escolhem investir em previdência privada para acumular renda para o estudo dos filhos ou para ajudá-los a realizar o sonho de uma grande viagem ou a compra do seu primeiro imóvel. 
  • Na data do resgate, é possível escolher entre receber o valor de uma só vez ou de forma parcial, em mensalidades. 

Vantagens tributárias 

Os fundos de investimentos previdenciários não sofrem a tributação semestral do come-cotas, imposto obrigatório nas outras modalidades de fundos. Ao investir na previdência privada, o dinheiro segue rendendo e a tributação só acontece no resgate ou recebimento da renda.  

Mais do que vantagens, essas duas primeiras características são incentivos ao planejamento financeiro e à busca por uma segurança financeira no futuro. 

Portabilidade 

Os fundos de previdência são compostos por ativos variados que, além de possibilitar diversidade na carteira de investimento, compõe opções adequadas a todo tipo de perfil de investidor: conservador, moderado e arrojado. 

Se, em algum momento, você desejar mudar de plano/fundo – seja por mudança no perfil de investidor, percepção do cenário econômico ou, simplesmente, insatisfação com o fundo atual – é possível portar sua reserva, mudando de fundo, dentro da mesma instituição ou transferindo para outra seguradora sem tributação de imposto de renda.

Vale ressaltar que essa portabilidade só é possível ser realizada ao investir em previdência privada cujos planos são  da mesma categoria (PGBL e VGBL) ou de um plano com tabela de tributação progressiva para um outro de tabela regressiva, não o inverso. 

Vamos entender melhor sobre essas categorias e tabelas de tributação abaixo e logo voltamos para citar mais algumas características importantes que justificam o investimento em previdência privada.  

Quais os tipos de Previdência Privada?

Investir em previdência privada é uma solução financeira a longo prazo e pode garantir recursos para seu futuro!

Ao investir em previdência privada, você verá que existem duas categorias de planos disponíveis no mercado.  

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) 

O PGBL é recomendado para pessoas que realizam o IR no modelo completo, normalmente um perfil de mais alta renda. Quem opta pelo PGBL pode abater o valor pago à previdência privada até um montante que represente 12% da renda bruta tributável no ano. No resgate paga-se imposto sobre o valor total do valor: aportes + rendimentos. 

Plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) 

O VGBL é indicado para quem declara IR no modelo simplificado. Não há possibilidade de abater valores investidos no IR, porém, o imposto no resgate incide somente sobre os rendimentos. 

Ao investir em previdência privada e escolher qualquer uma das categorias, será necessário também optar por uma forma de tributação, são elas: Tabela Regressiva ou Tabela Progressiva

Considerando que investir em previdência privada é uma aplicação a longo prazo, a tabela regressiva faz bastante sentido. A alíquota de IR começa a 35% e cai 5% a cada dois anos, podendo chegar a 10%. A tabela progressiva, por sua vez, funciona da mesma forma que a incidência do imposto sobre salário: de zero a 27,5% no máximo. 

Para saber como investir em previdência privada, recomendamos que acesse este link para conhecer alguns mitos e verdades e informações essenciais para que você forme sua opinião e, assim, estabeleça o lugar da previdência privada no seu planejamento de vida. 

Vale trazer aqui como um destaque as vantagens que a previdência privada traz na sucessão patrimonial. Em caso de falecimento do contratante, situação complicada e delicada, o patrimônio é transferido rapidamente, sem necessidade de inventário ou de pagamento de impostos.  

Além de todas essas vantagens ainda há mais uma que gostaríamos de trazer como diferencial para investir em previdência privada. 

É possível investir em Previdência Privada online? 

Totalmente possível. A contratação de um plano de previdência privada é fácil e simples. Muitas empresas já fazem, inclusive, todo o processo de forma digital, sem burocracia.  

As plataformas digitais, além de democratizar o acesso à informação, possibilitam fazer simulações com valores mensais e renda desejada. Consultores online também estão à disposição para indicar o melhor produto para seu perfil de investidor, momento de vida e objetivos futuros. Tudo isso deixa a missão de investir em previdência privada muito mais tranquila e sem burocracias desnecessárias.

Quer mais? Então, acompanhe o mercado de previdência privada aqui na Icatu que a evolução do produto e do mercado só tendem a melhorar. Os próximos anos prometem!  

Publicado por Paula Lopes

Paula Lopes possui mais de 12 anos de experiência em curadoria e produção de conteúdo, gestão de canais, implantação de plataformas digitais, campanhas de engajamento e eventos motivacionais para o público interno de empresas de diferentes segmentos e portes.

Deixe seu comentário